Setor de jogos digitais registra mercado de trabalho em expansão

Saiba como se preparar na área

Enquanto a economia brasileira se reinventa para atravessar uma das principais crises da história, o mercado de jogos digitais está em expansão e oferece salários atrativos. Levantamento feito pela NewZoo, uma das principais condutoras de pesquisas sobre a indústria dos games no mundo, em oito anos, o número de empresas desenvolvedoras de games no Brasil aumentou em quase 600%. Impulsionado pela popularização dos smartphones e dos tablets, em 2016, o setor faturou US$ 1,6 bilhão no país, um aumento de 25% em relação a 2014, quando o mercado brasileiro de jogos digitais movimentou US$ 1,28 bilhão. Os números confirmam os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que apontam crescimento real dos serviços de informática. O país é hoje o 4º maior consumidor do mundo.

Entre as consequências do cenário, há também a busca pela profissionalização para atender a demanda de mão-de-obra qualificada. “O amadurecimento das indústrias de jogos, o crescimento do mercado e do faturamento das empresas estão levando as pessoas a enxergarem os jogos digitais como um setor de trabalho promissor e não mais como um entretenimento. Com isso, a procura por cursos de qualidade aumentou, já que as pessoas estão percebendo que, para participar deste sucesso, é preciso estar bem preparado”, explica Alexandre Chacon, professor do curso de Jogos Digitais no Centro Universitário IESB.

E as opções para quem almeja trabalhar na área são amplas. O campo é multidisciplinar e envolve diferentes atuações, como desenvolvimento de projetos relacionados à área de hipermídia e interfaces digitais, animação, áudio, programação, design, entre outras atividades. Trabalhar com ferramentas e plataformas para criação de jogos, bem como em canais de comunicação via web, produtoras de websites, agências de publicidade e veículos de comunicação também estão entre as áreas onde se pode atuar. “No curso, estudamos desde a ideia conceitual de um jogo, passando pela criação de arte em 2D e 3D, até programação, animação, interação com o usuário, áudio, efeitos especiais, roteiro e etc. Desta forma, apesar de a criatividade ser o eixo condutor, pode-se dizer que o campo engloba diferentes aptidões. Quem gosta de música pode trabalhar mais com a sonorização, os que preferem desenhos, com criações de personagens e cenários, já os que gostam de matemática trabalham mais com a programação e assim por diante”, orienta o professor.

Arthur Corrêa, aluno do curso de Jogos Digitais do Centro Universitário IESB, está entre os que decidiram transformar o hobby em profissão. “Estou na faculdade e já trabalho em uma empresa de startup há um ano. Meu foco é programação e estou buscando me especializar ao máximo neste caminho”, disse o estudante, que já conquistou prêmio ao desenvolver um jogo de ação para celular. “Com certeza é um mercado em expansão, que envolve constantes pesquisas e atualizações. Estou confiante”, conclui o estudante.

Anúncios

Especialistas avaliam a importância dos jogos na educação

Os jogos  educativos são cada vez mais adotados por professores para tornar as aulas mais interessantes e divertidas.  De acordo com Juliana Batista Miranda, coordenadora pedagógica do Vivendo e Aprendendo (VA) do Le Petit Galois, além de ajudar na aprendizagem, motivando os alunos e ajudando no processo de memorização, os games incentivam a criação e fomenta o lúdico. “Os jogos ajudam a criança no seu desenvolvimento físico, afetivo, intelectual e social, pois, por meio das atividades lúdicas, a criança forma conceitos, reforça habilidades, estabelece relações lógicas, além de desenvolver a expressão oral e corporal”, destaca a professora. “Adotamos o VA no Le Petit porque é uma forma da criança aprender vivenciando as experiências de fato. O projeto oferece diversas aulas interativas como artes cênicas, circo, dança, música, artes plásticas, xadrez, entre outras”, explica.

Além dessas atividades, os alunos do Le Petit Galois também participam do Mind Lab, uma sala temática criada para estimular a concentração, as estratégias e o poder de decisão entre os estudantesTrata-se de um espaço com jogos, onde os alunos disputam entre eles e com a máquina, ajudando no trabalho da concentração e no desenvolvimento da coordenação motora da criança. “Interagir com a máquina é eficiente para que o estudante possa desenvolver suas habilidades e principalmente a concentração, mas é importante não deixar de lado o trabalho em grupo por isso trabalhamos sempre em equipe”, explica a coordenadora.

Para o especialista Francisco Osório de Carvalho Ramos, coordenador do curso de Jogos Digitais do Centro Universitário IESB, além de contribuir para a educação, os games também podem ajudar a integrar a criança na sociedade. “Os jogos são muito importantes para a inclusão social. Por exemplo, estamos desenvolvendo um jogo em parceira com o curso de Psicologia da instituição para auxiliar na educação de crianças diagnosticadas com o autismo – uma alteração que afeta a capacidade de comunicação do indivíduo, de socialização (estabelecer relacionamentos) e de comportamento. Por meio de um aplicativo com cores e sons, conseguimos chamar a atenção da criança e ajudá-la em seu crescimento pedagógico”, explica o professor, que destaca a motivação como um dos principais caminhos para o desenvolvimento da aprendizagem. “Todo mundo tem a capacidade de fazer um trabalho fantástico em um nível escolar elevado, mas é importante que haja sempre motivação e os jogos são fundamentais para ajudar a fomentar a vontade de aprender”, conclui o especialista.

%d blogueiros gostam disto: