Galois oferece bolsa de estudos a alunos de escolas públicas do DF

Estudantes dos 1º, 2º ou 3º ano integrantes do ensino médio de escolas públicas no DF podem se candidatar a uma bolsa de estudos no colégio Galois. Para participar, o aluno tem que fazer sua inscrição no www.galois.com.br, até o dia 09/02. O edital do concurso também pode ser encontrado nesse mesmo endereço eletrônico. A prova de classificação será realizada dia 10/02, a partir das 14h30, no Galois, da 601 sul. A bolsa é de 94%, mas, para garantir o desconto, os 20 selecionados devem apresentar matrícula ano 2016/2017 ou um boletim que comprove vínculo na rede pública do DF. As inscrições são gratuitas e o resultado será divulgado no site da instituição até o dia 14/02.

Anúncios

Atividades extracurriculares são fundamentais para quem busca uma universidade do exterior

Currículo com cursos complementares ajudou aluno do Galois a conseguir uma vaga no programa Yale Young Global Scholars

simulois

Estudar no exterior é o sonho de muita gente. Mas para ingressar em uma universidade de renome, saber uma língua estrangeira, ter excelentes notas e uma boa carta de recomendação não é o bastante. É preciso impressionar ainda mais. É ai que entram as atividades extracurriculares, que além de valorizar o currículo, chamam atenção de recrutadores e ajudam muitos candidatos a saírem na frente na hora de uma seleção.

Importantes para o desenvolvimento do aluno, elas ajudam nas habilidades cognitivas, motoras e argumentativas e proporcionam mais autonomia ao estudante, que deixa de ser um simples receptor de conteúdos, tornando-se cada vez mais responsável pelo desenvolvimento da sua própria aprendizagem. E nesse quesito vale tudo: trabalho voluntário, criação de jornal, esporte, música… Não há restrições. O importante é mostrar que o candidato é proativo, saber lidar com os problemas mundiais e pensa em prol da coletividade.

Este é o caso do Pedro Afonso Berford Leão Amorim. Aluno do 1º ano do ensino médio do colégio Galois, em Brasília, ele acaba de ser selecionado pelo programa Yale Young Global Scholars, da universidade americana Yale, para participar de um curso intensivo de duas semanas no campus da instituição na China. “Estou muito animado. Sempre tive vontade de estudar no exterior e esta oportunidade vai me abrir muitas portas. Entre as atividades dos encontros, vamos discutir questões globais e soluções inovadoras, tendo como foco o mundo globalizado”, conta o estudante.

Para conquistar uma das 60 vagas disputadas entre alunos de mais de 60 países, Pedro afirma que as atividades extraclasses realizadas em seu colégio, foram fundamentais para este mérito, como participar de Olimpíadas de Matemática, Física, debates, Feira de Ciência, robótica e o Simulois, uma conferência realizada pelo Galois na qual os alunos representam países em diferentes comitês, abordando assuntos e problemas mundiais hipotéticos. “O estudante deve ter consciência que, no atual mundo globalizado, quanto mais conhecimento ele tiver, melhor. As principais instituições de ensino do mundo estão procurando pessoas proativas e com amplo leque de conhecimento. Além disso, é importante ter perfil empreendedor e desenvolver habilidades argumentativas para se destacar entre os demais”, afirma Yaron Segalovich, professor de Mind Lab e inglês no colégio Galois.

Alunos do Galois fazem simulação de conferência internacional para debater problemas mundiais

Simulois 3

O Simulois – Simulações do Colégio Galois – é uma conferência na qual os alunos representam países em diferentes comitês ou agências, abordando assuntos e problemas mundiais hipotéticos, a fim de desenvolver raciocínio, integração, postura e conhecimento sobre essas regiões. “Por meio do Simulois os estudantes desenvolvem habilidades como oratória e negociação. Ao tratar profundamente de assuntos factuais, muitos adolescentes acabam descobrindo suas vocações profissionais, já que se identificam, com alguns temas. Isso, aliás, permite que eles reflitam sobre o problema e procurem soluções que auxiliam na construção de uma sociedade melhor. Além disso, é uma maneira de vivenciar, de forma mais lúdica, alguns tópicos de vestibulares”, explica Mariana Ribeiro, coordenadora do Simulois

Desta vez, o Simulois terá quatro comitês. Os alunos do 6º e 7º anos, integrantes do comitê da Organização Mundial de Saúde, abordarão o tema epidemias e pandemias. Já os do 8º e 9º anos, que fazem parte dos comitês do Conselho de Segurança das Nações Unidas, abordarão a questão do estado Islâmico. Os estudantes do ensino médio, debaterão sobre os direitos da faixa de gaza e o caso da Cisjordânia, dentro do comitê do Conselho de Direitos Humanos.  Além disso, os meninos ainda produzem um jornal com a cobertura do evento.

Uma das novidades deste ano é que o Colégio Galois abrirá 10 (dez) vagas a alunos do Centro de Ensino Médio 01 Júlia Kubistchek, na Candangolândia, para que eles participem da simulação.

O Simulois acontece entre os dias 15 e 17 de outubro, no Colégio Galois, da 601 sul.  No encerramento, dia 17/10, das 18h30 às 22h, o público é convidado a participar de uma noite especial com stands e apresentações relacionados à cultura dos países abordados durante o evento.

 

 

 

Galois está na final nacional da VII Olimpíada de Raciocínio Mind Lab

O Colégio Galois acaba de comemorar mais uma grande conquista com seus alunos de Ensino Fundamental II. Os estudantes Rafaela Elvina Almeida Campelo Ferreira, Eduardo Berford Leão Amorim, Daniel Coser Gonçalves de Araújo, Rodrigo Palma Paim, Pedro Afonso Berford Leão Amorim, Gabriel Portela Coelho Salomão, Eduardo Ventilari Sodré e Vinícius Barsante dos Santos se classificaram para a grande final nacional do torneio de raciocínio Mind Lab, que acontece dia 23/05, em São Paulo.

Professor Yaron Segalovich, do colégio Galois, entre os alunos selecionados para a final nacional do Mind Lab

Para isso, eles tiveram que disputar jogos de raciocínio, presencial e online, com equipes de 120 escolas brasileiras e internacionais. “Estamos felizes por representar nossa cidade em uma competição tão importante e servir como exemplo para outros estudantes. Esses jogos estimulam nossa criatividade, planejamento e estratégia que são facilmente usadas no dia a dia”, afirma Rodrigo Paim, aluno do 8º ano. O evento é promovido pela Mind Lab, responsável pelo programa MenteInovadora, que auxilia no desenvolvimento de habilidades dos estudantes.

A final presencial reunirá todos os vencedores das etapas regionais. O torneio premiará os mais bem colocados de 8º e 9º ano e servirá de seletiva para os de 4º ao 7º ano. Os vitoriosos representarão o Brasil no toneio em Istambul, na Turquia, em junho. Países como Reino Unido, Itália e Austrália concorrerão com o vencedor nacional. “Além de desenvolver habilidades fundamentais para o crescimento do aluno, como raciocínio lógico, planejamento estratégico, criativade e trabalho em equipe, o projeto também cultiva aspectos sociais. Em competições como essas, por exemplo, o estudadante conhece pessoas de várias localidades, compartilha conhecimentos, cultura e ainda aprende, de forma saudável, como lidar com a emoção”, ressalta Yaron Segalovich, professor de Mind Lab do colégio Galois.

Sobre a Olimpíada Internacional Mind Lab:

Torneio de jogos de raciocínio que reúne diversos países que aplicam a Metodologia Mind Lab. As equipes têm a oportunidade de colocar em prática todo o conhecimento e estratégias exploradas pelo Programa MenteInovadora em um evento em que alunos, educadores e famílias trocam experiências e celebram a jornada intelectual e emocional. Na final internacional, cada equipe é formada por quatro alunos do 4º ao 7º ano e do 8º ao 9º ano do ensino fundamental, que competem em modalidades/jogos diferentes: Damas Olímpicas, jogo Octi, jogo Bloqueio e o jogo Abalone.

Para Sandra Garcia, Diretora Pedagógica da Mind Lab e responsável pela Olimpíada, os jogos são uma forma de estimular a participação dos estudantes e reforçar a importância do estudo. “Esse torneio é muito mais que uma competição: é um instrumento que ajuda a colocar em prática habilidades cognitivas, sociais, emocionais e éticas dos alunos”, diz. “Esperamos que os estudantes do colégio não só se saiam bem, mas que aprendam com essa experiência única e motivadora”, ressalta.

Sobre a Mind Lab (www.mindlab.com.br) – A Mind Lab é reconhecida mundialmente por sua abordagem inovadora voltada para o desenvolvimento de habilidades cognitivas e socioemocionais de crianças e jovens para que eles estejam preparados para enfrentar os desafios da vida moderna. Fundada em Israel em 1994, a empresa já beneficiou milhões de estudantes ao redor de 25 países com sua metodologia exclusiva que conta com três pilares: jogos de raciocínio, professor mediador e métodos metacognitivos, sempre apoiando os estudantes a transferir o aprendizado com os jogos para a vida real. No Brasil, onde hoje fica a sede da empresa, a Mind Lab é parceira de mais de mil instituições de ensino do setor público e privado e conta com cerca de 20 mil professores certificados para aplicação do Programa MenteInovadora, que é integrado ao currículo das escolas. Com a finalidade de ampliar o engajamento e impacto na formação dos jovens, a Mind Lab tem investido também no desenvolvimento de soluções complementares, tais como o portal da games MindLab.NET, o aplicativo Conectados e o Missão Universitário, uma plataforma de preparação para o ENEM e para o mercado de trabalho.

Professores do colégio Galois promovem educação com solidariedade

Com o objetivo de oferecer acesso ao melhor ensino de Brasília e ainda ajudar o próximo, o curso Galois Pré-Vestibular de Ceilândia promoveu seis aulões beneficentes, durante o mês de abril, com aulas de Matemática, Química, Biologia, Gramática, Línguas e Redação. Para participar dos encontros, os alunos levaram 1 kg de alimento não perecível ou R$ 10,00, revertidos em doações para o Lar de São José. Em cada aula, foram sorteadas ainda camisetas e duas bolsas de estudo de 20% e uma de 30% no Galois Pré-Vestibular.

IMG_2195

Criado há mais de 20 anos, o abrigo Lar de São José fica localizado em Ceilândia e atende em média 55 crianças e adolescentes, de 0 a 18 anos. A entrega das doações será realizada no dia 04 de maio, às 14h. “A proposta foi dar oportunidades a todos interessados em conhecer a excelente metodologia dos professores do Galois e ainda colocar em prática a responsabilidade social da instituição”, destacou o professor Rafael Riemma.

IMG_2166

Professores dão dicas para estimular a leitura no século XXI

O Dia Mundial do Livro é comemorado em 23 de abril. Escolhida pela Unesco em 1995, a data tem como objetivo incentivar a leitura, prática cada vez mais distante da realidade brasileira. Para ter uma ideia do baixo índice de leitores no país, os últimos dados da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, divulgada em 2012, mostram que os brasileiros estão lendo menos: 95,6 milhões, registrada em 2007, para 88,2 milhões, com dados de 2011. O índice representa uma queda de 9,1% no universo de leitores, ao mesmo tempo em que a população cresceu 2,9% neste período. Em vez de ler, os brasileiros estão trocando o hábito por atividades como ver televisão, assistir a filmes em DVD, reunir-se com amigos e navegar na rede de computadores por diversão.

Dia do Livro. Imagem reprodução

Principalmente entre as crianças e adolescentes, disputar o gosto pelo livro com jogos ou redes sociais não é uma tarefa fácil. É preciso sabedoria e atenção na hora de estimular o prazer pela leitura. “Para que a criança ou o adolescente goste de ler, antes de tudo, o livro deve fazer parte do seu dia a dia. Para isso, é importante permitir seu acesso, visitar livrarias, bibliotecas e gastar algum tempo nesses locais, sem pressa, para que os jovens possam escolher uma leitura atraente, interessante, e, sempre que possível, indicar sugestões”, orienta Pedro Galas, coordenador da equipe de Língua Portuguesa do Ensino Fundamental do Colégio Galois.

Para o professor, o ideal é deixar que a leitura seja motivada por aquilo que os leitores realmente gostam. “Ler é importante para a vida em sociedade, para o avanço nos estudos, para a construção de uma carreira. Mas quando se trata do gosto pela leitura, não podemos forçar ninguém. É preciso descobrir esse prazer sozinho. Cabe a nós, adultos, permitir que ela aconteça, mas nunca obrigar, porque senão ela fica chata. E quando a leitura não for produtiva ou não agradar, a solução é simples: por que insistir em um livro chato, quando há tantas obras interessantes para lermos? Ler tem que ser um prazer e não uma obrigação”, explica Pedro.

Galas ressalta ainda que incluir a leitura numa rotina diária facilita, em muito, o desenvolvimento dessa habilidade. “Quanto mais se lê, mais fácil fica. Comece estabelecendo uma quantidade mínima de páginas pode dia, ou estipule um tempo determinado. Com isso, cria-se um ritmo de leitura, faz com que os livros sejam devorados mais rapidamente, dando oportunidade a outras e novas leituras”, garante o professor. Ele ressalta que a internet também pode ser uma ferramenta poderosa nesse sentindo, desde que o conteúdo seja apropriado. “Os pais devem acompanhar a leitura, elogiar o desenvolvimento, enfim, se colocar sempre ao lado do filho, mostrando interesse pelo que ele está lendo. Isso é fundamental para a formação de um futuro leitor”, acrescenta

Professora Camilla Osiro no colégio Galois

Tornar a leitura interessante em um mundo tecnológico é também o desafio de Camilla Osiro (foto), professora de Literatura do ensino médio do Galois. “Em vez de ficar batendo na mesma tecla, falando que o livro é sempre melhor que todas essas opções, eu tento mostrar que as histórias que eles vêem em novelas, filmes ou seriados são tão interessantes quanto as que têm no livro. Se antigamente não existia essa grande variedade de comunicação, eram eles a grande fonte de entretenimento”, defende Camilla. Para estimular a leitura dos clássicos, por exemplo, a professora usa a criatividade em cena com toques de drama, suspense, humor e romantismo. “Eu não só conto a história como também enceno e incorporo as personagens. Faço entonação de voz, destaco o drama, os diálogos, mudo a postura… É encenação pura. Um verdadeiro espetáculo. Os alunos participam, batem palmas e entram na história. Isso ajuda muito a memória visual e, com certeza, desperta o interesse do leitor. Tenho vários casos em que os estudantes saem da sala de aula e vão direto para biblioteca ou livraria ler a história completa. Quando conseguimos este resultado, esta motivação, é fascinante”, conclui Camilla.

FullSizeRender-4

Dia Mundial da Água

Antenada com os desafios atuais, a escola Le Petit Galois, em Brasília, trabalha este ano o tema Consumo consciente: formando uma nova geração. A ideia é discutir com os alunos temas importantes e sociais, como cidadania, reciclagem, responsabilidade ambiental e os cuidados com a natureza. E para comemorar o Dia Mundial da Água, 22 de março, os estudantes estão desenvolvendo diversas atividades e aprendendo como importantes atitudes do dia a dia podem colaborar com a preservação e economia desse bem natural. “É fundamental uma instituição de ensino discutir a importância da preservação da água, principalmente nos dias atuais, quando a escassez desse bem natural afeta muitas regiões do Brasil. Este cenário nos leva, como nunca, a desenvolver uma cultura do cuidado, pensada por seus famosos erres: reduzir, reusar, reciclar, respeitar e reflorestar”, destaca Eliane Perdigão, diretora pedagógica do Le Petit Galois.

Na sala de aula, o tema é discutido de forma séria, mas com olhar lúdico, estimulando ainda mais a aprendizagem do aluno. “É uma questão de cidadania, que deve ser cultivada sempre. Este ano, preocupamos não só em debater a importância da preservação da água, como também mostrar que algumas regiões do nosso país já estão sofrendo consequências do impacto ambiental. Assim, por meio da arte, literatura, cartazes, músicas… ensinamos como pequenas ações são fundamentais, como não jogar lixo nos rios e lagos, economizar água nas atividades cotidianas (banho, escovação de dentes, etc) e divulgar ideias ecológicas para amigos, parentes e outras pessoas”, explica Maria Idiane, professora do 1º ano do Le Petit Galois.

A estudante Gabrielle Cicarini, de seis anos, aprovou a ideia de trabalhar o tema em grupo. “A água está acabando. Por isso, é muito importante poder trocar informações e aprender ainda mais sobre como contribuir para um futuro melhor”, disse a aluna.

Os 20 colégios do DF com melhores médias no Enem 2013 por Escola

O MEC (Ministério da Educação) divulgou os resultados do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2013 por Escola nesta segunda-feira (22). Confira abaixo as 20 escolas do Distrito Federal com melhores médias das provas objetivas. Todas as instituições ficam em Brasília.

1º – COL OLIMPO
Média: 701,23
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Total de alunos: 72/ Alunos participantes: 66

2º – COL GALOIS
Média: 658,32
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Total de alunos: 183/ Alunos participantes: 167

3º – COL PODION
Média: 654,64
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Total de alunos: 99/ Alunos participantes: 92

4º – CED SIGMA
Média: 650,28
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Total de alunos: 447/ Alunos participantes: 406

5º – CED SIGMA ASA NORTE
Média: 650,23
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Total de alunos: 274/ Alunos participantes: 246

6º – COL ALUB
Média: 637,80
Rede: Privada
NSE*: Alto
Total de alunos: 50/ Alunos participantes: 47

7º – CED LEONARDO DA VINCI – UNIDADE TAGUATINGA
Média: 624,75
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Total de alunos: 224/ Alunos participantes: 212

8º – CED LEONARDO DA VINCI – UNID ASA NORTE
Média: 623,85
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Total de alunos: 258/ Alunos participantes: 233

9º – COL SAGRADO CORAÇÃO DE MARIA
Média: 622,52
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Total de alunos: 40/ Alunos participantes: 37

10º – CE CANDANGUINHO – CECAN
Média: 622,12
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Total de alunos: 23/ Alunos participantes: 22

11º – CED LEONARDO DA VINCI
Média: 621,07
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Total de alunos: 127/ Alunos participantes: 113

12º – CED SIGMA ÁGUAS CLARAS
Média: 618,15
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Total de alunos: 67/ Alunos participantes: 59

13º – COL MARISTA DE BRASÍLIA – ENS MÉDIO
Média: 615,74
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Total de alunos: 401/ Alunos participantes: 357

14º – COL PRESBITERIANO MACKENZIE – BRASÍLIA
Média: 612,17
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Total de alunos: 66/ Alunos participantes: 57

15º – COL CIMAN
Média: 611,89
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Total de alunos: 89/ Alunos participantes: 65

16º – COC BRASÍLIA
Média: 611,38
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Total de alunos: 194/ Alunos participantes: 179

17º – COL MILITAR DE BRASÍLIA
Média: 606,60
Rede: Federal
NSE*: Muito alto
Total de alunos: 540/ Alunos participantes: 443

18º – COL BATISTA DE BRASÍLIA
Média: 605,92
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Total de alunos: 40/ Alunos participantes: 31

19º – COL MADRE CARMEN SALLES
Média: 604,74
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Total de alunos: 43/ Alunos participantes: 39

20º – COL IDEAL
Média: 598,69
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Total de alunos: 486/ Alunos participantes: 419

*A sigla NSE representa o nível socioeconômico dos estudantes. O cálculo desse indicador foi feito a partir das informações fornecidas pelos próprios alunos.

Fonte: Uol/Educação

%d blogueiros gostam disto: