Dicas para sair bem na Redação do ENEM 2017

Nos dias 05 e 12 de novembro, milhões de estudantes brasileiros participarão do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017. A Redação, uma das provas mais importantes da avaliação, será aplicada no primeiro dia. De acordo com o professor de Redação do Colégio Galois, Lélio Amarães, para alcançar um bom resultado nessa área de conhecimento, é fundamental treinar muito, ler bastante e conhecer os assuntos da atualidade. “As diretrizes do Enem referem-se à construção de um texto argumentativo, em norma padrão, com objetividade total. Para tanto, o candidato deve saber a noção estrutural tríplice desse gênero: introdução (tese), desenvolvimento (argumentação) e conclusão (intervenção modificadora)”, destacou Amarães. Quer saber como se dar bem na Redação? O professor Lélio dá algumas dicas valiosas para os candidatos.

O que é exigido na prova de Redação do Enem?

É imprescindível que o candidato saiba produzir um texto dissertativo. Os estudantes de ensino médio são orientados para esse processo de modo natural. Porém, no caso do Enem, o examinador exige dois critérios bem mais fundamentados: argumento e proposta de solução. Nesse caso, para que o candidato tenha sucesso, ele precisa utilizar todas as informações que possui, como letras de músicas, fragmentos de obras literárias, teses de autores consagrados, textos, assuntos da História, estatísticas, conceitos técnicos e todo ramo de argumentos para que seu texto evolua do achismo para o comprovado. Quanto às soluções, cada candidato deverá oferecer no mínimo duas propostas lógicas possíveis e que não firam os direitos humanos. Nesse caso, é obrigatório que seja informado um agente dessa ação, que deverá estar presente nas esferas do Poder Público (Executivo, Legislativo ou Judiciário), da Sociedade (família, entidade sem fins lucrativos, entidades religiosas, organizações civis, mídia, entre outros setores sociais) e do indivíduo.

Onde buscar informações para escrever a Redação?

O bom candidato ao Enem faz uso de seus conhecimentos vivenciais (família, cotidiano e realidade), os agrega a fatores formais (escola, livros e teorias) e os coloca em prática. É importante que tudo o que seja lido e ouvido seja filtrado e utilizado na prova. Os temas do Enem são atuais, não políticos e de ordem social, ou seja, ainda que a mídia esteja muito preocupada com as questões políticas nacionais, os problemas reais abordados são as típicas questões sociais brasileiras: minorias, violência, conflitos urbanos, intolerâncias várias, cultura e tantos outros temas de ordem nacional. Ressalve-se também que, apesar de muitos leigos listarem temas de ordem internacional, cuja aplicação nacional é mínima ou nula, pela Matriz Curricular do Enem, essas temáticas não serão abordadas na prova de Redação, porém são de grande importância para outras áreas, como as Ciências Humanas.

Quais os erros mais comuns na prova?

Há os casos técnicos de desobediência ao gênero, por exemplo, o candidato faz uma narrativa em lugar de uma dissertação argumentativa. Além disso, a fuga do tema é bastante comum e isso anula integralmente a redação. Outra questão muito séria é o desrespeito aos direitos humanos. Como a sociedade passa por mazelas graves que fazem com que as pessoas se sintam indignadas com a questão, muitos candidatos são levados a posturas radicais, como sugerir a pena de morte ou a prisão perpétua para os infratores das normas sociais. Esses procedimentos, inquestionavelmente anulam o texto. Erros menores, como infrações gramaticais, pequenos desrespeitos estruturais e estética um pouco deficiente, não são tão graves. Entretanto, é fundamental que o candidato pondere que um bom texto é o resultado de ótimas ideias, técnica, aparência previsível e norma padrão.

Quais temas o senhor sugere prestar mais atenção?

O universo de temas do Enem é muito grande, desde que tenham aplicabilidade ao país, uma vez que essa é a Matriz Programática. Seguindo essa análise, nos últimos concursos foram examinados os problemas relativos às minorias: mulher (gênero), etnia (racial) e religião. Sob essa óptica, seria previsível a continuidade desse processo com temas relativos aos LGBTs (principalmente porque agora há uma nova sigla sendo discutida para esses grupos), às crianças e aos idosos (que já foi tema de Enem, mas a prova foi anulada na ocasião). Porém, não se pode fechar com algum tema, pois a discussão de questões ambientais (lixo, solo, águas e matriz energética) também é importante. A vertente cultural, como leitura e analfabetismo funcional, também são interessantes, apesar de não terem sido examinada há um certo tempo.

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: