Expotchê completa 25 anos

Entre os dias 30 de junho e 09 de julho, a capital federal recebe uma das maiores feiras dedicadas à comercialização de produtos da região Sul do país, que mostra também a cultura do estado do Rio Grande do Sul em todas as suas vertentes, a Expotchê. Anualmente, cerca de 150 mil pessoas visitam os corredores do Pavilhão de Exposições do Parque da Cidade durante os dez dias de evento.

Realizada desde 1992, pela Rome Eventos, reúne mais de 300 expositores distribuídos em uma área de 27 mil metros quadrados. O evento movimenta a economia local, gerando mais de 3000 empregos diretos e contratos com cerca de 40 empresas locais para prestação de serviços. A feira tem um volume de negócios diretos e indiretos superior a R$ 15 milhões de reais em vendas a cada edição. Em sua 25ª edição, a Expotchê traz para a cidade as melhores atrações de todos os anos, os shows que mais fizeram sucesso durante a realização da feira na capital federal. Escolhidos mediante a votação e participação do público, por meio das redes sociais do evento. Será a programação cultural mais intensa. Mais de 50 apresentações de música e dança, distribuídos em 10 dias de feira, com as melhores bandas gaúchas e grupos musicais e folclóricos da região Sul e dos Centros de Tradição Gaúcha.

A feira será distribuída em espaços cenográficos que representam a cultura gaúcha, com área de comercialização de produtos e praças temáticas dedicadas ao vinho, ao pão, à cerveja, ao chocolate, ao chimarrão, dentre outros. Nos estandes o visitante irá encontrar roupas, calçados, couro, malhas, lãs, queijos, salames, sucos, cucas, pães artesanais, geleias, chimias, vinhos e espumantes em taças e copos, chopp, cervejas artesanais, joias, bijouterias, acessórios, artigos de decoração, artesanato campeiro e muito mais.

 

Curso de formação em coaching e mentoring

Nos dias 20, 21 e 22 de abril irá acontecer em Brasília a 15ª edição do curso de formação “Coaching e Mentoring”. O treinamento é destinado aos profissionais de qualquer área ou formação que buscam desenvolver o seu potencial de liderança, alavancar suas capacidades de atuação pessoal e profissional, ampliar sua mentalidade, superar conflitos, aprimorar e expandir possíveis opções dentro da área de atuação, entre outros assuntos. Ministrado pelo professor e master coach Evaldo Bazeggio, o treinamento terá 30 horas-aula e utilizará referências do Sistema ISOR, com aprovação e reconhecimento pela International Coachin Federation, entidade mundial de coaching presente em 120 países, na modalidade CCE-Educação Continuada. Após o curso, o participante estará apto a aplicar as metodologias de Coaching, Mentoring e Holomentoring, além de atuar profissionalmente junto a pessoas físicas, empresas e em ambientes internos de trabalho no Brasil ou Exterior. O treinamento irá acontecer das 8h30 às 19h. Mais informações e inscrições no site: www.bazeggioconsultoria.com.br  ou pelo telefone: (61) 3963.1988. Vagas limitadas.

Torneio Nacional de Robótica reúne 720 competidores em Brasília

     Torneio Nacional de Robótica First Lego League (FLL) (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

Cerca de 720 competidores de escolas públicas e particulares de todo o Brasil participam do Torneio Nacional de Robótica First Lego League (FLL). O evento ocorre de hoje (17) até domingo (19), na unidade do Serviço Social da Indústria do Distrito Federal (Sesi-DF) em Taguatinga. Estudantes de 20 estados brasileiros, além do Distrito Federal, formam as 74 equipes classificadas para a etapa nacional do torneio. O Distrito Federal será representado por três equipes.

A competição é dividida em quatro etapas: o projeto de pesquisa, em que os alunos criam e apresentam uma solução inovadora para um aspecto do desafio; design de robô, em que os jovens precisam projetar e construir um robô autônomo, com códigos claros e eficientes; core values, parte em que são avaliados os valores dos competidores durante o torneio; e desafio do robô, em que é preciso realizar uma série de tarefas ou missões em rounds de dois minutos e meio.

No torneio nacional do FLL, serão selecionadas 24 equipes que participarão de torneios internacionais. “Nós temos 74 equipes que vão concorrer às vagas nos torneios internacionais que acontecem nos Estados Unidos, na Dinamarca, Austrália e no Reino Unido. Essas equipes participaram de 13 etapas regionais, concorreram com 780 equipes de todo o Brasil, de praticamente 400 escolas. São equipes que já estão preparadas para uma competição desse porte”, disse a gerente de Educação do Sesi-DF, Bárbara Trajano.

Bárbara disse que as equipes são de escolas do Sesi e das redes pública e particular de ensino e ressaltou a importância do programa para a educação. “O programa visa a despertar o interesse das crianças e dos jovens pelas áreas de ciência e tecnologia. A proposta está alinhada aos objetivos estratégicos do Sesi, que são elevar a qualidade da educação brasileira, direcionar o conhecimento para as áreas de ciência, tecnologia e matemática, porque, assim, contribuímos para formar mão de obra, engenheiros e tecnólogos para a indústria brasileira”, afirmou Trajano.

O tema desta edição é Animal Alliens, que trata da relação do homem com os animais. Os participantes devem identificar problemas de cooperação entre seres humanos e animais e desenvolver soluções inovadoras. A competição é aberta ao público. No sábado e domingo, a visitação começa a partir das 8h.

Engenharia da Computação está entre as profissões com mais chances de emprego

 

A busca por inovação e a competitividade entre as empresas, especialmente em época de crise, aumenta a demanda por profissionais que lidam com tecnologia e informática. Neste cenário, uma das profissões que se destaca é a Engenharia da Computação, onde o ritmo com que novas ferramentas e necessidades surgem ainda não é tão rápido quanto o de profissionais que se formam no mercado. Graduados neste curso têm maior chance de oportunidades de trabalho e futuro promissor.

Em Brasília, no laboratório do Centro Universitário IESB, estudantes de Engenharia da Computação desenvolveram projetos voltados para o mercado high-tech, como redes de sensores aplicados à prevenção de incêndios florestais, automação comercial para separação de resíduos sólidos e até um drone ambulância para auxiliar a prestação de primeiros socorros. “Além da programação do computador, essa engenharia trabalha muito com automação e a demanda por este tipo de serviço, em busca de comodidade, conforto e segurança, aumenta ainda mais a procura por estes profissionais”, afirma Patrícia Moscariello, coordenadora do curso de Engenharia da Computação do IESB.

De acordo com a professora, outro setor com bastante demanda é o de automação residencial. “Criar uma programação capaz de assegurar que em um único comando possa apagar todas as luzes de uma casa, fechar cortinas, desligar pontos de ar condicionado, gerenciar a parte de segurança, câmeras e até fazer um café à distância tudo isso visando praticidade e economia, é função de um engenheiro da computação”, explica Moscariello, que dá dicas importantes para quem pretende ingressar na área. “É muito comum as pessoas confundirem Engenharia de Computação com Ciência da Computação. Enquanto esta última lida com o software, a engenharia trabalha mais com o hardware da máquina, programação do computador. O curso tem duração de cinco anos. Nos primeiros semestres, o aluno aprende muito sobre engenharia e física e depois aprofundamos as partes mais específicas, onde são ministradas aulas de eletrônica, hardware, robótica, automação e sistema de mercado. Para turbinar o currículo e se destacar ainda mais, é importante que o aluno faça cursos paralelos de eletrônica ou na área de dispositivos móveis. Seguir carreira acadêmica com uma pós-graduação na área também é fundamental para manter-se atualizado com as constantes inovações deste campo”, orienta a professora.

Embora o cenário de emprego seja melhor em regiões com maior concentração de indústrias, como São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, Patrícia acredita que o crescimento de pequenas empresas de automação no Distrito Federal vai aquecer o mercado por aqui. “O futuro está na automação. Não existe nada melhor do que transformar a casa em um verdadeiro lar high-tech, contando com uma ajudinha de profissionais capacitados para isso”, conclui Patrícia Moscariello.

Galois oferece bolsa de estudos a alunos de escolas públicas do DF

Estudantes dos 1º, 2º ou 3º ano integrantes do ensino médio de escolas públicas no DF podem se candidatar a uma bolsa de estudos no colégio Galois. Para participar, o aluno tem que fazer sua inscrição no www.galois.com.br, até o dia 09/02. O edital do concurso também pode ser encontrado nesse mesmo endereço eletrônico. A prova de classificação será realizada dia 10/02, a partir das 14h30, no Galois, da 601 sul. A bolsa é de 94%, mas, para garantir o desconto, os 20 selecionados devem apresentar matrícula ano 2016/2017 ou um boletim que comprove vínculo na rede pública do DF. As inscrições são gratuitas e o resultado será divulgado no site da instituição até o dia 14/02.

SciFinder Future Leaders recebe inscrições até 12 de fevereiro

Estão abertas até o dia 12 de fevereiro as inscrições para o SciFinder Future Leaders. O programa é uma oportunidade para estudantes de doutorado e pesquisadores com pós-doutorado participarem do encontro anual da American Chemical Society. O SciFinder Future Leaders proporciona uma série de benefícios aos seus participantes, como aumento da rede profissional, ao conhecer e trocar experiências com cientistas do mundo todo; desenvolvimento de proficiência no uso do SciFinder e aquisição de habilidades que podem impulsionar a carreira; ampliação de conhecimentos e troca de ideias sobre soluções de pesquisa atuais e futuras; visita a centros de tecnologia e inovação para expansão de conhecimentos sobre desenvolvimento científico. O 254º American Chemical Society National Meeting & Exposition, evento do qual o grupo selecionado fará parte, ocorrerá de 14 a 24 de agosto, em Washington, nos Estados Unidos. Além de ser uma ocasião para dar um importante passo na carreira, os pesquisadores selecionados poderão ajudar a definir o futuro da informação científica investigativa em âmbito internacional.

O SciFinder é uma ferramenta do Chemical Abstracts Service (CAS), de referenciais com resumos e patentes, oferecida pelo Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) à comunidade acadêmico-científica brasileira. A plataforma indexa periódicos científicos que englobam temas como química orgânica, química inorgânica, físicoquímica, química analítica, engenharia química, ciências ambientais, farmacologia, toxicologia, medicina experimental, biologia celular e molecular, genética, bioquímica, microbiologia, enzimologia e outros temas afins. Agrega informações de mais de 61 autoridades de patentes incluindo patentes anteriores a 1907. São seis bases de dados disponíveis: Caplus, Registry, Chemical Reactions, Substâncias Químicas Regulamentadas, Chemcats e Medline.

O SciFinder pode ser acessado pela opção Buscar base do Portal de Periódicos da CAPES, uma biblioteca virtual que reúne e disponibiliza a instituições de ensino e pesquisa no Brasil o melhor da produção científica internacional. O Portal conta com um acervo de mais de 38 mil títulos com texto completo, 126 bases referenciais, 11 bases dedicadas exclusivamente a patentes, além de livros, enciclopédias e obras de referência, normas técnicas, estatísticas e conteúdo audiovisual. A ferramenta foi criada tendo em vista o déficit de acesso das bibliotecas brasileiras à informação científica internacional, dentro da perspectiva de que seria demasiadamente caro atualizar esse acervo com a compra de periódicos impressos para cada uma das universidades do sistema superior de ensino federal. Foi desenvolvido ainda com o objetivo de reduzir os desnivelamentos regionais no acesso a essa informação no Brasil. Ele é considerado um modelo de consórcio de bibliotecas único no mundo, pois é inteiramente financiado pelo Governo brasileiro. É também a iniciativa do gênero com a maior capilaridade no planeta, cobrindo todo o território nacional.

Inscrições para o Sisu podem ser feitas de hoje a sexta-feira

Começam hoje (24) e vão até sexta-feira (27) as inscrições para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Ao todo, são 238.397 vagas em 131 instituições públicas, entre universidades federais e estaduais, institutos federais e instituições estaduais. O Sisu seleciona os estudantes com base na nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Cabe a cada instituição definir o cálculo que utilizará para a seleção dos novos alunos. Para participar do processo, o estudante não pode ter tirado nota 0 na redação do exame. Ao todo, mais de 6,1 milhões fizeram o Enem em 2016.

O resultado será divulgado no dia 30. O período de matrícula será de 3 a 7 de fevereiro. Os candidatos que não forem selecionados na chamada regular poderão participar da lista de espera, entre 30 de janeiro e 10 de fevereiro. Esses candidatos serão convocados a partir do dia 16 de fevereiro, caso haja vagas remanescentes.

Nota de corte

Após a abertura das inscrições, são divulgadas uma vez por dia ao notas de corte de cada um dos cursos, tanto pelo sistema universal quanto pelo sistema de cotas.

O candidato também pode consultar, em seu boletim, a classificação parcial na opção de curso escolhido. Ao final do período de inscrição, é divulgada a lista de selecionados. No boletim de acompanhamento, o candidato pode consultar sua classificação e o resultado final. Ao longo do período de inscrição, o candidato pode mudar as opções de curso.

O Ministério da Educação ressalta que tanto a classificação parcial quanto a nota de corte são calculadas a partir das notas dos candidatos inscritos na mesma opção. Portanto, são apenas uma referência, não sendo garantia de seleção para a vaga ofertada.

Atividades extracurriculares são fundamentais para quem busca uma universidade do exterior

Currículo com cursos complementares ajudou aluno do Galois a conseguir uma vaga no programa Yale Young Global Scholars

simulois

Estudar no exterior é o sonho de muita gente. Mas para ingressar em uma universidade de renome, saber uma língua estrangeira, ter excelentes notas e uma boa carta de recomendação não é o bastante. É preciso impressionar ainda mais. É ai que entram as atividades extracurriculares, que além de valorizar o currículo, chamam atenção de recrutadores e ajudam muitos candidatos a saírem na frente na hora de uma seleção.

Importantes para o desenvolvimento do aluno, elas ajudam nas habilidades cognitivas, motoras e argumentativas e proporcionam mais autonomia ao estudante, que deixa de ser um simples receptor de conteúdos, tornando-se cada vez mais responsável pelo desenvolvimento da sua própria aprendizagem. E nesse quesito vale tudo: trabalho voluntário, criação de jornal, esporte, música… Não há restrições. O importante é mostrar que o candidato é proativo, saber lidar com os problemas mundiais e pensa em prol da coletividade.

Este é o caso do Pedro Afonso Berford Leão Amorim. Aluno do 1º ano do ensino médio do colégio Galois, em Brasília, ele acaba de ser selecionado pelo programa Yale Young Global Scholars, da universidade americana Yale, para participar de um curso intensivo de duas semanas no campus da instituição na China. “Estou muito animado. Sempre tive vontade de estudar no exterior e esta oportunidade vai me abrir muitas portas. Entre as atividades dos encontros, vamos discutir questões globais e soluções inovadoras, tendo como foco o mundo globalizado”, conta o estudante.

Para conquistar uma das 60 vagas disputadas entre alunos de mais de 60 países, Pedro afirma que as atividades extraclasses realizadas em seu colégio, foram fundamentais para este mérito, como participar de Olimpíadas de Matemática, Física, debates, Feira de Ciência, robótica e o Simulois, uma conferência realizada pelo Galois na qual os alunos representam países em diferentes comitês, abordando assuntos e problemas mundiais hipotéticos. “O estudante deve ter consciência que, no atual mundo globalizado, quanto mais conhecimento ele tiver, melhor. As principais instituições de ensino do mundo estão procurando pessoas proativas e com amplo leque de conhecimento. Além disso, é importante ter perfil empreendedor e desenvolver habilidades argumentativas para se destacar entre os demais”, afirma Yaron Segalovich, professor de Mind Lab e inglês no colégio Galois.

%d blogueiros gostam disto: