Volta às aulas: dicas de segurança para pais e filhos

A segurança é fundamental na hora do retorno às escolas. Para evitar os sustos, os especialistas da Gocil Segurança e Serviços enviaram para o blog Edson Machado dicas para prevenção de assaltos e outras ações durante este período.

  • Informe-se sobre o plano de segurança da escola, se conta com vigilantes ou monitores no ambiente e nos arredores;

  • Saiba os horários de entrada e saída dos alunos e aproveite para chegar mais cedo e evitar as aglomerações;

  • Toda criança deve saber o nome dos pais, endereço e telefone para contato, mas oriente seu filho a não distribuir a informação a estranhos;

  • Deixe a escola ciente sobre quem tem autorização para buscar a criança;

  • Durante o trajeto para a escola, esteja atento aos arredores, pois os criminosos se aproveitam da algazarra das crianças para furtar bolsas, celulares, relógios e outros pertences;

  • Se ele volta sozinho, oriente seu filho a andar em grupos e para que nunca aceite caronas de estranhos;

  • Oriente as crianças a utilizarem com discrição os celulares, tablets e demais equipamentos eletrônicos. As crianças são vítimas potenciais dos bandidos, principalmente por não oferecerem maior resistência;

  • No carro, siga as recomendações de uso para cadeirinha e assento elevatório para cada faixa etária;

  • A pé, ande segurando a mão da criança e sempre a acompanhe ao atravessar as ruas.

Anúncios

Enem 2017: professora faz análise do resultado da Redação

Em meio a quase 5 milhões de candidatos, apenas 53 estudantes conseguiram tirar nota máxima na redação do Enem 2017, que teve como tema “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil”. Das 4.725.330 redações corrigidas, 309.157 tiveram nota zero. O blog Edson Machado conversou com Amanda Lima, professora de Redação do Colégio Galois.

Nota do Enem 2017 é divulgada

Como a senhora avalia o resultado?

O gráfico acima disponibilizado pelo INEP nos mostra algumas informações acerca do decaimento das notas mil nas redações ao longo dos anos (2014-2017). Um indicativo, que pode ser considerado, é de que os corretores, cada vez mais, se especializam. Além disso, a temática também pode ter sido a responsável pela diminuição da quantidade de redações nota mil. Não só por surpreender pela especificidade, mas também por trabalhar informações relevantes para o Brasil, para a área educacional, pois vários candidatos se questionaram, por exemplo, se surdez e deficiência auditiva eram a mesma coisa, ou utilizaram essas informações como sinônimas por desconhecimento. A Constituição Federal, inclusive texto motivador da prova, garante direitos aos surdos, então, por que não temos intérpretes de Libras (Língua Brasileira de Sinais) em todas as escolas, estabelecimentos públicos, universidades, faculdades, escolas? Questionamentos como esses seriam interessantes para demonstrar a fragilidade do sistema educacional brasileiro que, apesar de universal, essa máxima restringe-se à legislação e não abarcaria os surdos, por exemplo, na nossa realidade. Alguns candidatos também confundiram termos da deficiência visual, como o termo braile e trouxeram-no para a realidade dos surdos o que também ajuda a enfraquecer a cadeia argumentativa de quem a utiliza, já que, novamente, o desconhecimento do assunto ajuda a criar estratégias falaciosas e inexistentes.

Este ano, destacou-se o aumento de redações que fugiram ao tema. O que fazer para evitar erros comuns como este?

Linguisticamente falando, a escrita faz parte de um processo que envolve uma série de elementos, como questões discursivas e sociais, os quais têm como produto o texto, a redação. Escrever é um processo e acredito que essa perspectiva oracular da redação acaba deixando lacunas sérias quando o tema que cai é algo que não tenha sido trabalhado previamente. Os 5,01% de fuga ao tema dos 6,5% do total de redações que receberam nota zero foi o motivo mais relevante dentre os citados para a nota do Enem 2017, em seguida: prova em branco (0,80%), texto insuficiente (0,33%), parte desconectada (0,17%), não atendimento ao tipo textual (0,11%), cópia do texto motivador (0,09%), outros motivos (0,03%) foram os dados divulgados pelo Inep. Esse erro da fuga ao tema, por ainda ser bastante comum, é reflexo da falta de leitura dos textos motivadores e sobretudo da interpretação. O Brasil é um país que lê e escreve pouco. A leitura dos textos motivadores ajuda na construção de um direcionamento que o candidato precisa ter diante do tema escolhido pela banca. Talvez, a melhor escolha seja essa para entender o que a prova solicita como posicionamento a ser defendido. Outra questão importante é entender que escrever requer uma reflexão, uma construção, um processo e não algo que seja produzido mecanicamente.

Como o estudante pode melhorar seu estudo e fazer uma boa redação?

Infelizmente, os preparatórios e as escolas têm optado, muitas vezes, por escrever muito, mas nem sempre isso consegue sinalizar o que o candidato precisa para a construção de uma escrita reflexiva e que alcance notas altas. Quantidade não é sinônimo de qualidade. É preciso rever o formato das aulas de redação para que elas sejam mais eficazes. É importante introduzir leitura aliada ao trabalho de escrita/alfabetização comprometido, desde a primeira infância, com a construção de alunos que sejam leitores e escritores. Algo importante para alunos que escreverão futuras redações do Enem é aprimorar a escrita, por meio de temas antigos, procurar provas que trabalhem vários gêneros textuais, como os exames da Unicamp. Isso ajuda o candidato a escrever em qualquer hipótese e não acerca de um tema previamente estudado, até porque a escrita é assim como elucidou Heráclito: “Ninguém entra em um mesmo rio uma segunda vez, pois quando isso acontece já não se é o mesmo, assim como as águas que já serão outras”. A escrita, mesmo de um tema que seja feito anteriormente, não é a mesma, pois o indivíduo já se modificou ao longo dos dias, dos meses depois de ter treinado. Escrever é um ato que implica mais em autenticidade e criatividade do que em mecanicidade.

Prêmio internacional recebe inscrições de projetos inovadores

Até o dia 30 de janeiro, projetos inovadores que se propõem a solucionar desafios globais na área de educação e transformar suas comunidades podem buscar o reconhecimento do WISE Awards 2018, promovido pela Fundação Qatar. A premiação reconhece todos os anos seis iniciativas criativas e eficientes, que recebem o valor de US$ 20 mil, e tem o objetivo de criar uma rede de agentes de transformação para inspirar inovações na educação mundial. Para concorrer, é preciso realizar a inscrição em inglês e relatar como funciona o projeto e o alcance das atividades desenvolvidas. Podem preencher o formulário representantes das iniciativas ou pessoas externas a elas que queiram indicar projetos para o prêmio. O WISE Awards se propõe a reconhecer soluções de qualquer lugar do mundo e de qualquer setor ou nível educacional.

Entre as características e requisitos que a Fundação Qatar está buscando nos projetos estão registros que comprovem o sucesso da iniciativa, sustentabilidade financeira, clareza nos objetivos e próximos passos, potencial de ser escalado e replicado em outros contextos e regiões do mundo, além do entendimento por parte dos integrantes das iniciativas sobre a natureza de sua inovação, seus diferenciais e o impacto que provoca para seus beneficiários. Após o encerramento das inscrições, um grupo de especialistas em educação vai avaliar todos os projetos e indicar 15 finalistas. Um outro júri, formado por lideranças da educação mundial, vai escolher os seis ganhadores, que serão conhecidos em setembro.

Desde 2009, quando o WISE Awards foi criado, já foram premiados 54 projetos com objetivos diferentes, como garantir qualidade na educação, oportunidades de aprendizado ao longo da vida ou acesso a educação em locais em crise. Dois representantes brasileiros foram reconhecidos desde a primeira edição: o projeto de educação a distância na Floresta Amazônica, uma iniciativa da Secretaria de Educação do Amazonas, em 2009, e a startup Geekie, com o projeto “Aprendizagem para todos”, que inclui três plataformas de ensino personalizado: o Geekie Lab, o Geekie Teste e o Geekie Games. Para se inscrever ou obter mais informações, clique aqui.

Fonte: Porvir.org

Nota do Enem 2017 é divulgada

Veja como aproveitar melhor o resultado

O Ministério de Educação divulgou nesta quinta-feira (18) os resultados do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017. Das 4.725.330 redações corrigidas, 309.157 tiveram nota zero e apenas 53 registraram nota 1.000. Na edição anterior, foram 291.806 notas zero e 77 notas mil entre 6.034.672 redações corrigidas.

Os resultados só podem ser consultados individualmente. Os candidatos devem acessar a Página do Participante e fazer login por meio do CPF e senha anteriormente cadastrada. Com a nota do Enem 2017, os estudantes podem concorrer a uma vaga em uma universidade pública que tenha aderido ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu) 2018. As vagas já podem ser consultadas. Serão 130 instituições no Brasil – 30 estaduais e 100 federais – que ofertarão 239.601 vagas na graduação.

O período de inscrições do Sisu será entre os dia 23 e 26 de janeiro no site do programa (http://sisu.mec.gov.br). Para participar, é necessário ter tirado nota acima de zero na redação do Enem 2017. Como nos anos anteriores, cada candidato poderá se inscrever em até duas vagas, especificando a ordem de preferência e o turno no qual pretende estudar. Também é necessário definir qual a modalidade no qual o aluno se encaixa – ampla concorrência ou alguma relativa às ações afirmativas (com critérios raciais ou sociais).

Mesmo que o candidato faça sua inscrição no primeiro dia, ele poderá alterar suas opções até o prazo final. O sistema mostra, a cada dia, uma nota de corte parcial, baseada nas notas das pessoas que já se inscreveram até o momento naquele curso.

Aproveitando melhor o resultado

A professora Dila Lira, diretora do Ensino Médio IESB, explica como o aluno pode aproveitar ao máximo sua nota no exame. “O mais importante da escolha de uma carreira é o estudante amar a sua profissão. Portanto, fazer uma programação para alcançar o melhor resultado é fundamental. Para isso, é importante que, antes de realizar a prova, o aluno já tenha noção do curso que ele quer fazer e qual a nota ele precisa. Com o resultado em mãos, ele deve pesquisar qual universidade é possível conquistar uma vaga. Além disso, outra pesquisa importante é saber quais descontos é possível conseguir por meio da nota, já que algumas instituições privadas oferecem esta vantagem”, orienta a professora. Mas, e se depois de tudo isso não foi possível entrar no curso esperado? “É importante que o estudante não se desanime, mas use a experiência como aprendizado. Que ele tente fazer um mapeamento do conteúdo que ele foi melhor e do que ele precisa se dedicar mais nos estudos, buscando alcançar um resultado positivo na próxima oportunidade”, afirma a diretora.

Na Universidade de Brasília (UnB) cinco editais que utilizam a nota do ENEM como forma de ingresso em cursos de graduação estão abertos. São eles: o Sistema de Seleção Integrada (SiSU), o Vestibular de Habilidade Específica (VHE), a Licenciatura em Educação do Campo, a Transferência Facultativa e o Portador de Diploma. Interessados em se candidatar devem conferir o edital do processo seletivo desejado na página do Cebraspe www.cespe.unb.br/vestibular

 

Resultado e consulta de desempenho do PAS

Os estudantes que realizaram em 2017 a 3ª etapa do Programa de Avaliação Seriada (PAS) devem consultar seu desempenho no dia 22 de janeiro. A alteração da pré-opção realizada durante a inscrição pode ser feita nos dias 23 e 24 de janeiro pela internet. A lista de candidatos selecionados em primeira chamada será divulgada na data provável de 26 de janeiro. Mais informações: 3448 0100 | www.cespe.unb.br/pas

Clube de Leitura

Coloque na agenda. Dia 25 de janeiro, o Clube de Leitura da Biblioteca Central (BCE) da Universidade de Brasília (UnB) reúne-se para discutir a obra 1984, de George Orwell. O encontro acontece a partir das 12h, na Sala de Treinamento 148, no 1º subsolo da Biblioteca. O clube é aberto para as comunidades acadêmica e externa.

IESB lança Ensino Médio em Ceilândia

Melhor instituição privada de ensino superior do Distrito Federal, de acordo com avaliação do MEC, o Centro Universitário IESB inicia 2018 com uma novidade: o Ensino Médio IESB. O colégio, que funcionará no campus Oeste da instituição, em Ceilândia, abriu suas portas no último sábado, 13/01, para receber pais e futuros alunos da instituição e apresentar sua proposta pedagógica diferenciada e adequada às necessidades dos estudantes de todo o DF. “A vinda do Centro Universitário IESB para Ceilândia causou um impacto bastante positivo na região. Nossa instituição já tem uma relação muito forte com a comunidade e queremos ampliar este trabalho com o Ensino Médio por meio da excelência, criatividade e inovação. Viemos para revolucionar a maneira de ensinar e aprender. A proposta é que o IESB se torne modelo de Ensino Médio na região”, afirmou Eda Machado, fundadora e reitora da instituição.

 

A professora Eda Machado, reitora do Centro Universitário IESB, apresenta a equipe de professores do Ensino Médio IESB ao lado da diretora Dila Lira.

Além da infraestrutura funcional e laboratórios modernos, característicos do Centro Universitário IESB, quem esteve no evento conheceu todas as novidades que a instituição vai oferecer aos estudantes, como laptops exclusivos para serem usados durante as aulas, material didático bem elaborado, estudos desenvolvidos por Trilhas do Conhecimento, com aulas focadas e direcionadas para os conteúdos e critérios de avaliação do ENEM e do PAS, Coach de estudos e uma plataforma digital completa. “Nossa plataforma é um blackboard muito utilizado nos grandes centros de ensino superior e que nós estamos trazendo para o ensino médio. Nela, existem várias ferramentas e possibilidades de aprendizagem, como por exemplo, questões de desafios, exercícios diferenciados, simulados, vídeos, aula invertida, entre outras atividades que ampliam o conhecimento do aluno, aliando teoria e prática”, explicou Dila Lira, diretora do Ensino Médio IESB.

Parcerias com os mais diversos cursos da instituição permitirão aos estudantes desenvolver atividades inovadoras, que proporcionarão experiências únicas e diferenciadas. O curso de Engenharia, por exemplo, dará aulas complementares de Robótica básica, trabalhando a construção de robôs e sistemas motores. Os docentes da cadeira de Física orientarão o IESB no Espaço, um programa que irá ensinar a projetar e construir foguetes para competições nacionais. Para aqueles que gostam da sétima arte, haverá o Festival de Cinema IESB, cuja proposta é fazer a adaptação de uma obra literária estudada durante o período letivo e transformá-la em um curta-metragem. Tudo sob a supervisão de monitores do curso de Cinema e Mídias Digitais do IESB. A Clínica de Nutrição e a Clínica de Psicologia do IESB, que já prestam atendimento à comunidade, também estarão envolvidas com os discentes do ensino médio, ensinando práticas de alimentação saudável e fazendo acompanhamento psicológico especializado, inclusive às famílias, quando necessário.

Estão ainda na programação inúmeros eventos, como o IESB GAME, uma arena de jogos virtuais montada para uma competição entre os melhores jogadores de games do colégio; a Feira de Arte e Cultura, uma mostra cultural para apresentação dos filmes produzidos e das oficinas de teatro; a Feira de Transdisciplinar, uma exposição de conhecimentos múltiplos, aberta à comunidade; além dos projetos “Leitura Livre”, que premiará os leitores mais ávidos, e também o “Com os Grandes Mestres”, que incentivará os alunos a escreverem um livro, que será publicado e lançado pelo colégio. O estudante Guilherme Soares, 17 anos, foi um dos que visitou o espaço e aprovou as iniciativas do IESB. “Fiz minha matrícula no segundo ano e estou com ótimas expectativas. Eu já conhecia o ensino superior do IESB, por conta do meu irmão que fez Direito aqui na instituição. Ele me incentivou a conhecer esta nova proposta pedagógica e eu gostei muito. A equipe de professores e os laboratórios são incríveis. Uma excelente escola e muito próxima da minha casa”, avaliou Guilherme.

Resultado do Enem 2017 será dia 19 de janeiro

Fique atento. O resultado do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) 2017 será divulgado no dia 19 de janeiro de 2018. Os participantes que fazem o Enem como forma de autoavaliação, comumente chamados de treineiros, recebem os resultados dois meses depois dos participantes regulares. No primeiro semestre de 2018 o Inep também divulga o espelho de correção das redações. Todos os resultados serão divulgados no Portal do Inep (enem.inep.gov.br) e no Aplicativo do Enem. A nota do ENEM pode ser utilizada no Sisu – Sistema de Seleção Unificada.

%d blogueiros gostam disto: