Expotchê completa 25 anos

Entre os dias 30 de junho e 09 de julho, a capital federal recebe uma das maiores feiras dedicadas à comercialização de produtos da região Sul do país, que mostra também a cultura do estado do Rio Grande do Sul em todas as suas vertentes, a Expotchê. Anualmente, cerca de 150 mil pessoas visitam os corredores do Pavilhão de Exposições do Parque da Cidade durante os dez dias de evento.

Realizada desde 1992, pela Rome Eventos, reúne mais de 300 expositores distribuídos em uma área de 27 mil metros quadrados. O evento movimenta a economia local, gerando mais de 3000 empregos diretos e contratos com cerca de 40 empresas locais para prestação de serviços. A feira tem um volume de negócios diretos e indiretos superior a R$ 15 milhões de reais em vendas a cada edição. Em sua 25ª edição, a Expotchê traz para a cidade as melhores atrações de todos os anos, os shows que mais fizeram sucesso durante a realização da feira na capital federal. Escolhidos mediante a votação e participação do público, por meio das redes sociais do evento. Será a programação cultural mais intensa. Mais de 50 apresentações de música e dança, distribuídos em 10 dias de feira, com as melhores bandas gaúchas e grupos musicais e folclóricos da região Sul e dos Centros de Tradição Gaúcha.

A feira será distribuída em espaços cenográficos que representam a cultura gaúcha, com área de comercialização de produtos e praças temáticas dedicadas ao vinho, ao pão, à cerveja, ao chocolate, ao chimarrão, dentre outros. Nos estandes o visitante irá encontrar roupas, calçados, couro, malhas, lãs, queijos, salames, sucos, cucas, pães artesanais, geleias, chimias, vinhos e espumantes em taças e copos, chopp, cervejas artesanais, joias, bijouterias, acessórios, artigos de decoração, artesanato campeiro e muito mais.

 

Campus Party em Brasília é vitrine para startups

Profissionais e entusiastas da tecnologia participam da Campus Party em Brasília Marcelo Camargo/Agência Brasil

Mais de 50 grupos de empreendedores exibem seus modelos de negócio no espaço destinado às startups na primeira Campus Party realizada em Brasília, que acontece até domingo (18) no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. A programação também inclui painéis e workshops voltados para o empreendedorismo, além de encontros de negócios.
Na expectativa de encontrar um investidor para sua inovação, o desenhista industrial Murilo Lana levou a ideia da startup PMK, que tem o objetivo de produzir impressoras 3D domésticas e periféricos em larga escala. O modelo de negócio já recebeu investimento para desenvolver o produto, mas agora precisa escalonar a produção. “O nosso foco são escritórios de arquitetura, de engenharia, os profissionais, estudantes e, principalmente, as instituições de ensino e os espaços makers (de fazedores). Queremos pulverizar e ocupar esses lugares e instituições com as nossas máquinas”, disse Lana.
A escalonabilidade é exatamente uma das principais características necessárias para que um modelo de negócio inovador seja considerado uma startup. Segundo o presidente da Associação de Startups e Empreendedores Digitais do Brasil (Asteps), Hugo Giallanza, o negócio precisa ser repetível sem perder a qualidade. “Quando você baixa um aplicativo que é brasileiro, consegue baixá-lo no Japão sem perder qualidade. No caso de uma padaria, talvez perca a qualidade pela falta dessa escala. Você não vai conseguir entregar um pão fabricado aqui, com a mesma qualidade, no Japão”, explica.
Segundo Hugo, é na tecnologia que estão as ferramentas ideais que possibilitam esses modelos de negócio. Por isso, depois de estabelecidas, muitas startups acabam mudando a forma de consumo de um determinado mercado. É o caso dos aplicativos de transporte individual, ou de distribuição de alimentos orgânicos, que fazem com que muitas pessoas prefiram consumir de uma nova forma, no lugar de irem pessoalmente até uma loja ou a um ponto de táxi, por exemplo.
O empreendedor Iuri Costa também levou a sua empresa Axies, que desenvolve jogos de realidade aumentada, para participar das competições promovidas pelo Sebrae dentro da Campus Party. Com quase seis anos de mercado, Iuri já considera a sua empresa consolidada, mas acha importante o processo de troca de conhecimento e experiência.
Segundo ele, nesse mercado, é muito importante ter foco no produto e na entrega, já que a tecnologia, com baixos custos, pode proporcionar grandes negócios. Esses pontos são destacados pelo empreendedor quando faz mentoria para quem está começando no segmento. Mais do que isso, ele considera que o propósito e a equipe são definitivos para que uma startup venha a ser uma grande empresa “É necessário encontrar um propósito louvável que te faça dormir mais tarde, acordar mais cedo, pessoas que também tenham esse mesmo conceito e, sem dúvida, dinheiro, afinal, você precisa de capital”, afirma.
Ao longo dos cinco dias de Campus Party são esperados mais de 50 mil visitantes na área aberta ao público, onde estão os espaços disponibilizados para as startups. Com toda essa movimentação, a organização do encontro e parceiros como o Sebrae esperam um grande volume de negócios e investimentos em inovações. Para Hugo Giallanza esse tipo de oportunidade é excelente para que o Brasil cresça nesse mercado. “Enquanto uma empresa cresce 5%, 10% ao ano, uma startup cresce 3.000%. Trata-se de um fator determinante para que políticas públicas de estímulo a esse tipo de negócio sejam criadas. Nós vemos as startups como uma solução para o nosso país, como uma solução para crise que estamos vivemos”, conclui.

Gabarito preliminar Vestibular UnB 2017

Confira aqui no blog Edson Machado, o Gabarito Preliminar do Vestibular UnB 2017, realizado nos dias 10 e 11 de junho de 2017. O gabarito foi elaborado pelos professores do Colégio Galois.

Gabarito Preliminar Galois 1º dia – 10/6/2017
Frase de capa “Determinação e autoconfiança são fatores decisivos para o sucesso”

Baixe aqui: Prova-Vestibular-UnB-2017—1-Dia

Gabarito Preliminar Galois 2º dia – 11/6/2017
Frase de capa “Um dos segredos do sucesso é aprender a fazer mais com menos.”
Baixe aqui: Prova-Vestibular-UnB-2017—2-Dia

Arquitetos de empresa responsável pela Pirâmide do Louvre fazem palestra para estudantes em Brasília

IESB recebe George Miller e José Bruguera, da Pei Cobb Freed & Partners, de NY

Para quem mora em uma cidade idealizada por expoentes como Oscar Niemeyer e Lúcio Costa, o design é algo quase intrínseco na alma. O conceito de arquitetura para o brasiliense é muito mais que apenas a construção de edificações para a ocupação de um espaço. As linhas que definem Brasília e os monumentos que a simbolizam são únicos e criaram um novo estilo de expressão estética – uma espécie de assinatura reconhecida mundialmente.

O Centro Universitário IESB reconhece a importância de incentivar a manutenção desse legado e fomentar ideias inovadoras. Para isso, nada melhor do que trocar experiências com profissionais de renome internacional. Seguindo essa linha, a instituição promove palestra dia 13 de junho, às 19h30, no auditório D, do IESB Campus Sul, com os arquitetos George Miller e José Bruguera, sócios da Pei Cobb Freed & Partners, premiado escritório de arquitetura localizado em Nova York (EUA); reconhecida por desenvolver soluções criativas e arrojadas de arquitetura.

Com o tema Pei Cobb Freed & Partners – Six Decades of Design, Miller e Bruguera contarão sobre os desafios, caminhos e projetos desenvolvidos ao longo dos 60 anos de existência do escritório. Entre os trabalhos assinados pela empresa estão o Hotel Four Seasons, em Nova York; o Center for Government & International Studies da Universidade de Harvard; o Palazzo Lombardia em Milão; o Bank of China Tower, em Hong Kong; o Museu de Arte Moderna de Luxemburgo e até mesmo a Pirâmide do Louvre, realizada em 1988 pelo arquiteto Ieoh Ming Pei, um dos fundadores da companhia. O encontro, aberto ao público, é uma oportunidade para conhecer de perto um pouco da história que retrata a excelência do design.

Depois da palestra, George Miller e José Bruguera farão um tour para conhecer a moderna arquitetura de Brasília ao lado de professores e alunos do IESB. A vinda da dupla não poderia ter sido em um momento mais oportuno, já que a capital federal está em busca de uma vaga para ser reconhecida como a “cidade criativa do design” pela Unesco. Neste cenário, compartilhar informações com profissionais de outras localidades que tiveram experiências positivas na área é fundamental para ampliar o conhecimento e integrar novos fatores que valorizam o desenvolvimento urbano, levando benefícios a todos.

George Miller

Formado em arquitetura pela Pennsylvania State University, George Miller ingressou no time da Pei Cobb Freed & Partners em 1975 e se tornou sócio-gerente em 1990. Foi reconhecido pelo Instituto de Arquitetos Americanos do Estado de Nova York como um “lifetime de contribuições notáveis para a profissão” e recebeu o Prêmio da Medalha de Ouro James William Kideney. Na Pei Cobb Freed & Partner, é responsável pela administração geral, operações e gerenciamento de pessoal. Sob sua liderança, centenas de grandes projetos foram conduzidos desde a concepção até a conclusão, como o Meyerson Symphony Center, em Dallas e a sede do Banco da China, em Midtown Manhattan. Entre seus muitos cargos de liderança na profissão, o Sr. Miller atuou como presidente do capítulo de Nova York do American Institute of Architects (2003) e presidente nacional da AIA (2010).

José Bruguera

Formado em Arquitetura pela Universidad Nacional Autónoma de México e mestre pela State University of New York at Buffalo, José Bruguera ingressou na Pei Cobb Freed & Partners em 1989 e tornou-se parceiro em 2009. O seu portfólio reflete uma paixão por detalhes e materiais fundamentados em precisão geométrica, invenção arquitetônica e domínio da tecnologia de construção. Como designer principal de muitos projetos recentes na Europa, seu trabalho inclui o World Trade Center e Grand Marina Hotel em Barcelona; Torre Espacio em Madrid; Palazzo Lombardia, a nova sede do governo para a região da Lombardia e a Universidad Europea de Madrid.

Serviço

Palestra com os arquitetos George Miller e José Bruguera no IESB

Data: 13/06/17

Horário: 19h30

Local: auditório D, do IESB Campus Sul – SGAS Quadra 613/614.

Evento aberto ao público com entrada gratuita.

Mulheres empreendedoras nas redes sociais

Em evento em Brasília, influenciadoras digitais Mari Ferola e Bianca Anchieta dão dicas de como promover sua marca e sua empresa nas mídias digitais

Com o crescente aumento do protagonismo das mulheres na sociedade e a expansão das redes sociais, a presença feminina na internet vem sendo revisitada e ganhando espaço no mundo do marketing. Intituladas digital influencers, elas mobilizam milhões de seguidores na internet e colecionam casos de sucesso no campo do empreendedorismo. A partir dessa premissa, a empresária, master coach e digital influencer Mari Ferola promoveu, nessa segunda-feira (5), em Brasília, o evento “Mulheres e Redes Sociais: Empreendedorismo e Cases de Sucesso”.

Também participou do encontro a brasiliense Bianca Anchieta, youtuber e celebridade da internet, que tem mais de 4 milhões de seguidores nos seus canais. Tanto Mari quanto Bianca se ancoram na evolução das tecnologias de informação e de comunicação, que abriram novas oportunidades e plataformas de interação. Muitas marcas, atentas às novas formas de relacionamento com o público, já recorrem a esses profissionais como estratégia de marketing a fim de impulsionar seus produtos.

Durante a palestra, Mari Ferola ressaltou que os negócios já não são como antes, já que a internet veio para criar uma nova realidade, estabelecendo um novo paradigma em relação às formas de produzir, vender e inovar. “Nesse universo, o empreendedor digital se caracteriza como um especialista em inovação, e que entende de economia criativa, identidades digitais. O diferencial que você tem para oferecer determinará seu sucesso”, orienta.

Na avaliação da especialista, o principal interesse do público das redes sociais não é receber mensagens comerciais, mas sim conhecer e fazer relacionamentos com outras pessoas, não com empresas. “É por esse motivo que a abordagem nas redes sociais tem que ser diferente, a empresa não pode sair logo vendendo um produto ou serviço”.

Durante o evento, as influencers comentaram que o custo-benefício nas redes sociais tende a ser melhor do que a propaganda tradicional. “Por um valor menor, o alcance é maior. Isso porque os dispositivos móveis permite interação constante de qualquer lugar”, explica Mari Ferola. Ela adverte, contudo, que o público-alvo somente é impactado quando se tem credibilidade. “Na hora de comprar algo, a opinião de alguém que você confia é, muitas vezes, mais importante do que a do vendedor”.

Ela explica que deve-se pensar bem antes de se entusiasmar com a possibilidade de aumentar o lucros com esse tipo de marketing digital. “Saiba qual é o seu público-alvo e em como essa parceria seria benéfica para ambos. Encontre o seu diferencial na comparação com outros influencers. Tenha clareza de como seu cliente em potencial encara esse tipo de conteúdo e se é interessante financeiramente investir nesse tipo de publicidade”, finaliza Mari Ferola, informando que, no próximo dia 24 de junho, em Brasília, realizará um treinamento para mulheres visando à autorrealização profissional e pessoal.

 

Artista brasileiro participa da exposição O Tempo Dos Sonhos

Visita guiada com Glênio Lima acontece neste sábado, 3/06, às 15h, na Caixa Cultural Brasília

Nome da obra: Fusões. Artista: Glênio Lima

Para estimular o diálogo intercultural entre o Brasil e a Austrália, o artista brasileiro Glênio Lima foi convidado para participar da exposição O Tempo Dos Sonhos: Arte Aborígene Contemporânea da Austrália, em cartaz na Caixa Cultural Brasília até 16 de julho de 2017. Conhecedor da arte Yanomami brasileira e Mixteca do México, Lima apresenta a obra Fusões, feita exclusivamente para a mostra. Uma visita guiada com o artista acontece neste sábado, 3/06, às 15h. É gratuita e aberta ao público.

Nascido em Tocantins, Glênio Lima vive em Brasília desde 1960, onde formou-se em Licenciatura em Artes Visuais, na Faculdade Dulcina de Moraes. Desde os anos 1990, desenvolve trabalhos que têm como particularidade a pesquisa alternativa de materiais como pigmentos naturais, velhos artefatos de madeira, metal e brinquedos populares, na produção de pinturas, objetos e instalações. Participou de cerca de 200 exposições coletivas e individuais no Brasil e no exterior, incluindo diversos salões de arte contemporânea.

A exposição O Tempo Dos Sonhos: Arte Aborígene Contemporânea da Austrália é a mais significativa e diversificada coleção de obras de arte dos povos indígenas da Austrália a visitar a América do Sul. As obras que compõem o acervo são de artistas renomados, que já tiveram os seus trabalhos expostos no MoMA e Metropolitan, de Nova Iorque, Bienais como a de Veneza, São Paulo e Sidney, entre outros eventos de prestígio internacional, como o Documenta, em Kassel. “Essa coleção é um presente à população brasileira. Em um acervo de mais de três mil obras, selecionamos aquelas mais significativas. Muitas já foram publicadas em inúmeros catálogos de arte, citadas em teses de dourado e exibidas em várias instituições de importância na Austrália, Europa e Estados Unidos”, conta o curador brasileiro e brasiliense Clay D´Paula, que assina a curadoria com os australianos Adrian Newstead e Djon Mundine.

São mais de 60 obras, selecionadas por importância histórica, com uma linguagem contemporânea e técnicas diversas, tais como pinturas, esculturas, litografia e bark paintings (pinturas em entrecasca de eucalipto), que englobam um período de 45 anos, desde o despertar da comercialização da arte aborígene contemporânea na década de 1970 até o presente. Compõem o acervo obras de arte da Coo-ee Art Gallery, a galeria mais antiga e respeitada em arte aborígene da Oceania. Peças de coleções privadas e instituições governamentais também atravessaram o oceano exclusivamente para esta exposição.

Serviço:

ExposiçãoO Tempo dos Sonhos: Arte Aborígene Contemporânea da Austrália

Local: CAIXA Cultural Brasília

Endereço: SBS Q 04 – Lotes 3/4 – Edifício anexo à matriz da CAIXA

Visitação: de 31 de maio até 16 de julho.

Horários: Terça a domingo, das 9h às 21h

Classificação indicativa: Livre

Entrada franca

Paraná comemora 70 anos da Secretaria da Educação

O Paraná comemorou 70 anos da Secretaria de Estado da Educação. Em solenidade realizada no Salão de Atos do Palácio Iguaçu, em Curitiba, o governador Beto Richa enalteceu o papel do órgão na gestão da área, na formação dos paranaenses e no desenvolvimento do Paraná. Junto com a secretária da Educação, professora Ana Seres, e de ex-secretários da pasta, Richa deu início às comemorações pela data.

Entre os eventos, a inauguração do Centro de Documentação, Pesquisa e Informação Técnica (CDPIT). O espaço, localizado na sede na Secretaria, no bairro Vila Izabel, contém cerca de sete mil produções científicas que documentam parte da história da educação pública no Paraná. O centro terá como funções preservar e divulgar as produções científicas da pasta e também promover pesquisas educacionais junto à comunidade acadêmica.

Sisu abre inscrições para o segundo processo seletivo

O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) abre incrições, na segunda-feira (29), para o processo seletivo do segundo semestre deste ano. Pelo Sisu, os participantes concorrem a vagas em instituições públicas de ensino superior com a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Neste processo, valerá a nota do Enem 2016. Para participar, os candidatos não podem ter tirado zero na redação do Enem. O Sisu terá uma única chamada, e a divulgação do resultado está prevista para o dia 5 de junho. Também nesta data será aberta a lista de espera, que permanecerá disponível até 19 de junho. No primeiro semestre, o Sisu ofereceu 238.397 vagas em 131 instituições, entre universidades federais, institutos federais e instituições estaduais. O MEC ainda não divulgou o número de vagas para este período.

%d blogueiros gostam disto: