Manual traz orientações para escrever a redação do Enem

Cartilha do Participante – Redação no Enem 2017 já está disponível no portal do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep). As regras para a redação não foram alteradas em relação ao ano passado, mas o manual deste ano foi aprimorado para tornar a metodologia de avaliação da redação mais transparente, segundo o Inep. Também está mais evidente o que se espera do participante em cada uma das competências avaliadas. O manual divulgado nesta segunda-feira (16) detalha todas as competências avaliadas e explica quais critérios serão utilizados nas correções dos textos. O guia também traz oito redações que obtiveram pontuação máxima no Enem 2016, com comentários.

Neste ano, a prova do Enem será realizada em dois domingos. A redação será no primeiro, no dia 5 de novembro, junto com as provas de linguagens, códigos e ciências humanas. No dia 12 de novembro será a vez das provas de ciências da natureza e matemática. O exame será aplicado em 1.724 municípios, para 6.731.203 inscritos. Com informações da Agência Brasil.

Anúncios

Nota do Enem é aceita para ingresso em 27 universidades de Portugal

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) fechou recentemente um convênio com o Instituto Politécnico da Maia (Ipmai), de Portugal, para que estudantes brasileiros possam usar as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como critério de ingresso na instituição. Com isso, já são 27 as instituições de ensino superior portuguesas que aceitam o Enem. As instituições portuguesas que usam o exame podem definir qual será a nota de corte para o acesso dos estudantes brasileiros aos cursos ofertados. A revalidação de diplomas e o exercício profissional no Brasil dos estudantes que cursarem o ensino superior em Portugal estão sujeitos à legislação brasileira aplicável à matéria.

O primeiro convênio interinstitucional foi firmado em 2014, com a Universidade de Coimbra. Os convênios não envolvem transferência de recursos e não preveem financiamento estudantil por parte do governo brasileiro. O Inep já tem 27 convênios com as seguintes instituições portuguesas: Universidade de Coimbra, Universidade de Algarve, Instituto Politécnico de Leiria, Instituto Politécnico de Beja, Instituto Politécnico do Porto, Instituto Politécnico de Portalegre, Instituto Politécnico do Cávado e do Ave, Instituto Politécnico de Coimbra, Universidade de Aveiro, Instituto Politécnico de Guarda, Universidade de Lisboa, Universidade do Porto, Universidade da Madeira, Instituto Politécnico de Viseu, Instituto Politécnico de Santarém, Universidade dos Açores, Universidade da Beira Interior, Universidade do Minho, Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Instituto Politécnico de Setúbal, Instituto Politécnico de Bragança, Instituto Politécnico de Castelo Branco, Universidade Lusófona do Porto, Universidade Portucalense, Instituto Universitário da Maia (Ismai) e Instituto Politécnico da Maia (Ipmai).

IFB recebe inscrições para processo seletivo até sexta (20)

O Instituto Federal de Brasília (IFB) encerra nesta semana as inscrições para o processo seletivo dos cursos de ensino médio integrado. Entre as opções estão agroindústria, no Campus Planaltina, equipamentos biomédicos, no Campus Ceilândia, e gestão pública, no Campus Brasília. São oferecidas ao público mais de 2 mil vagas gratuitas e as inscrições devem ser feitas via on-line, pelo site do instituto, até sexta-feira (20). O IFB aceita reserva de vagas para quem vem de escolas públicas e para grupos que são alvo de ações inclusivas. Mais informações Agência Brasília.

VII Expo-empreendedor valoriza produtores de Ceilândia

Entre os dias 17 e 19 de outubro será realizada no IESB Campus Oeste, em Ceilândia QNN 31, a VII Expo-Empreendedor. O evento, organizado pelos alunos do 8º semestre do curso de Administração, reunirá cerca de 60 participantes, que irão apresentar e comercializar diversos produtos e serviços. Haverá stands com roupas femininas, masculinas e infantis; artigos em crochê; alimentação, barbearia, sapatos, e muito mais. “É uma maneira dos nossos estudantes colocarem em prática tudo o que aprenderam durante o curso, estimular o empreendedorismo e ainda valorizar os produtores locais”, explicou o coordenador de Administração do IESB Oeste, professor Ale Fall.

A VII Expo-Empreendedor terá atrações para que o público presente possa desfrutar ainda mais da feira. Além de shows musicais, exposição de carros, palestras sobre empreendedorismo, nutrição e aulas de ginástica laboral, haverá espaço kids com brinquedos e algodão doce, montado especialmente para que as crianças se divirtam enquanto os pais aproveitam a ocasião. “É uma grande satisfação planejar esse evento. Queremos que esse projeto seja uma oportunidade de dar mais visibilidade para os empreendedores de Ceilândia e de aproximá-los de seu público-alvo. É um incentivo para quem efetivamente mobiliza economicamente nossa cidade e também uma chance para que a comunidade conheça e prestigie o que é produzido aqui”, explicou Delecy Silva Sousa, aluna de Administração do IESB.

A VII Expo-Empreendedor estará funcionando das 8h às 12h e das 19h às 22h. Para entrar, basta doar 1kg de alimento não perecível ou um litro de leite. Mais informações: 3340-3747.

Redes sociais podem ser aliadas na preparação para o Enem

A internet e as redes sociais já fazem parte do dia a dia dos jovens brasileiros e podem ser ferramentas na preparação para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A possibilidade de estudar nos horários mais convenientes e gastando pouco são facilidades que vêm atraindo estudantes para a prática de estudar online.

Há quatro anos, o professor goiano Paulo Valim decidiu trocar as salas de aula de cursinhos em São Paulo por aulas de química à distância. Seu canal no YouTube, que começou com 20 vídeos caseiros, hoje tem mais de 427 mil seguidores e mais de 31 milhões de visualizações nos vídeos.

Segundo ele, a maioria dos alunos que acessa os conteúdos do YouTube usa a internet como complemento dos estudos, principalmente na véspera das provas. Já os estudantes cadastrados em uma plataforma online criada por ele, que oferece aulas, exercícios e material didático, fazem todo planejamento e se preparam para as provas exclusivamente pela internet. Alguns materiais são de graça, mas outros são pagos.

As principais vantagens do estudo online, segundo Valim, são a economia de tempo no trânsito, principalmente nas grandes cidades, a possibilidade de se organizar conforme o tempo disponível, além da economia financeira e da variedade de conteúdos e professores diferentes. No entanto, o professor alerta para a importância da organização para os estudos pela internet. “Se não tiver disciplina, não rola. Você tem que se policiar para não ficar na cama mais 30 minutinhos e depois mais 30 minutinhos e perder um dia de estudos. Tem que ter um plano de estudos e segui-lo religiosamente. Ter horário para começar e horário para parar os estudos e manter uma rotina saudável”, aconselha Valim, que é embaixador do Youtube Edu do Brasil.

Outro cuidado que os alunos devem ter ao estudar pela internet é se certificar da competência dos educadores. O professor de matemática Mick Xavier diz que é preciso procurar saber qual a formação do professor, obtendo informações sobre sua experiência profissional e acadêmica. “Em geral, os alunos se deixam levar pela fama e popularidade dos professores em canais na internet, e às vezes nãos sabem a procedência e a formação do professor”, diz.

Xavier lançou um canal no YouTube há cerca de um ano, com aulas e dicas de matemática. “A possibilidade de atingir alunos de diversas partes do Brasil e do mundo é algo fascinante. Além disso, com as aulas online você trabalha com alunos que estão realmente interessados em aprender”, conta o professor, que também dá aula em escolas e cursinhos.

Este ano, o Enem será realizado nos dias 5 e 12 de novembro, com a participação de 6,7 milhões de candidatos.

Pensando na facilidade de estudar pela internet, há três anos a funcionária pública Karol Ferraz decidiu criar um grupo no Whatsapp com professores e alunos. Atualmente, cerca de 180 pessoas estudam diariamente com as aulas repassadas pelos professores voluntários, que incluem textos, áudios, imagens e atividades.

Para Karol, que mora em Icaraí de Minas (MG), a principal vantagem de estudar online é a disponibilidade de tempo. “Estudando em grupo pelo whatsapp conseguimos rapidamente ter acessos, por meio de outras pessoas, a matérias que realmente precisamos estudar. Isso já é um ponto de início para quem nem sabe por onde começar”, diz a estudante, que pretende entrar no curso de psicologia.

Confira os temas que podem cair na redação do Enem 2017

Para quem vai fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a preparação para a redação é fundamental. Isso porque essa prova vale 1000 pontos, enquanto nas outras áreas de conhecimento, o valor varia por conta da Teoria de Resposta ao Ítem (TRI), método que dá pesos diferentes para as questões de acordo com o número de erros e acertos. A exemplo dos últimos anos, a redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017 deve continuar tratando de temas sociais. “A gente especula que a prova continue tratando de algum tema de grande abrangência e polêmica social, como tem sido nos últimos anos”, avalia o professor de sociologia e filosofia de uma escola particular do Rio de Janeiro Leandro Vieira, que também dá aula de atualidades para alunos que se preparam para a prova.

Entre as apostas do professor estão a questão ambiental e a mobilidade urbana, com foco no transporte público nas grandes cidades. “Esse tem sido um grande tema, desde os grandes eventos como a Copa e as Olimpíadas, e costuma ser cobrado na redação do Enem”, diz. Ele também lembra do assunto liberdade de expressão. “Nos últimos anos tem havido um grande debate sobre o que pode ou não ser dito, os limites para a liberdade de expressão”, diz.

A professora do laboratório de redação de um colégio particular de São Paulo Maria Aparecida Custódio elaborou uma lista com cerca de 30 temas possíveis para a prova deste ano. Entre os destaques estão os caminhos para combater a homofobia no Brasil, a gravidez na adolescência, os hábitos alimentares relacionados à obesidade infantil, o bullying e a violência nas escolas. Entre os temas ambientais, a professora destaca como possíveis assuntos a serem abordados na prova as crises hídrica e energética, o marco da biodiversidade, a produção de lixo e o consumo sustentável. “São assuntos da atualidade, que mobilizam a opinião pública e que são de interesse de todos nós”, diz.

Maria Aparecida lembra que os temas do Enem são predominantemente nacionais e sempre temas sociais, ambientais e relativos a direitos humanos. “São assuntos que de alguma maneira representam um problema que exige uma possível intervenção”, diz. Segundo a professora, o Enem sempre propõe temas que envolvem tanto a participação do Estado como da sociedade.

A coordenadora de redação de uma escola de Brasília Carolina Darolt também aposta que a redação do Enem deve continuar abordando a temática social e comportamental, como nos últimos cinco anos. Ela também cita a questão ambiental, com foco na escassez da água e na Floresta Amazônica. Mobilidade urbana e bullying também são possíveis temas, segundo a professora. No entanto, para Carolina, o aluno não deve perder tempo tentando adivinhar um possível tema da redação. “Estar preparado para receber qualquer tema é mais importante que acertar o tema. Ele deve pensar em referências textuais que poderiam permear muitos temas”, conclui.

IESB promove III Semana Acadêmica de Engenharia Civil

Com o tema Caminhos para o Crescimento, o Centro Universitário IESB promove a III Semana Acadêmica de Engenharia Civil. O evento, gratuito e aberto ao público entre os dias 2 e 4 de outubro, será realizado no IESB campus Sul (613/614 Sul), das 8h às 22h, com palestras, bate-papo e oficinas. “Excelente oportunidade para os estudantes e a comunidade conhecerem de perto as novidades deste campo e terem contatos com profissionais atuantes na área”, destaca Keyla Sahb, coordenadora do curso de Engenharia Civil da instituição.

Na programação, palestras como Design Thinking; IESB LAB; Tecnologia, industrialização e sustentabilidade; Mercado, desafios e oportunidades de trabalho para o engenheiro civil; Incentivos fiscais e perspectivas econômicas para sustentabilidade na construção civil, entre outras.  O evento oferece ainda oficina de Introdução à Estabilidade de Encosta e mesa redonda sobre Tecnologia BIM no Brasil; Empreendedorismo na Construção Civil; e Legislação ambiental e construção civil.

Para participar, não é preciso fazer inscrição. Mais informações e programação completa no link: https://pt-br.facebook.com/engciviliesb/

Pós-graduação brasileira teve avanço qualitativo na última década

Na última década, todos os níveis de formação cresceram em número de cursos. De 2007 a 2017, praticamente dobrou a quantidade de cursos de doutorado – nível mais alto da formação acadêmica. Nesse período, os cursos de mestrado profissional mais que triplicaram e o número de mestrados acadêmicos cresceu 65%. Merece destaque o crescimento do número de programas de excelência, considerados de qualidade internacional. Além da expansão quantitativa, houve uma desconcentração dos cursos, que se espalharam pelo país. Em 2007, 14 unidades da federação não contavam com programas de notas 6 ou 7. Atualmente, 10 estados não possuem programas de excelência: Acre, Rondônia, Roraima, Amapá e Tocantins, na região Norte. No Nordeste, Piauí, Alagoas e Sergipe. Na região Centro-Oeste, o estado do Mato Grosso. No Sudeste, o Espírito Santo. Na região sul, todos os estados possuem programas de alto padrão.

O número de alunos que concluíram seus cursos também teve aumento expressivo. Se comparados os períodos avaliativos 2010-2012 e 2013-2016, houve crescimento de 59% na quantidade de mestres formados. A titulação de doutores cresceu quase 94%, e foi registrado crescimento de 193% na titulação de mestres profissionais. A produção intelectual dos programas também teve um crescimento expressivo entre os dois últimos períodos de avaliação. Houve crescimento de 89% no número de artigos em periódicos e 80% na produção de livros ou capítulos de livros.

Com relação ao modelo de avaliação, a última avaliação apresentou as duas grandes mudanças da década: o período de avaliação foi estendido de três para quatro anos e os procedimentos de coleta e tratamento de dados foram informatizados com o uso da Plataforma Sucupira. Para o presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), Abílio Baeta Neves, a última década apresentou um crescimento coerente do sistema. “O resultado mostra que o sistema vem crescendo e ganhando qualidade. Nosso modelo avaliativo se mostra capaz não só de perceber o avanço da pós-graduação, mas também de apontar necessidades de correção para instituições e programas”, enfatizou Baeta Neves.

Fonte: CCS/CAPES

%d blogueiros gostam disto: