Vestibular 2018 UnB

Até 29 de abril, estão abertas as inscrições para o Vestibular UnB 2018, tradicional forma de ingresso que agora traz oportunidades em cursos presenciais para o segundo semestre do ano. A Universidade oferece 2.105 vagas, distribuídas entre 98 graduações, diurnas e noturnas, nos campi Darcy Ribeiro, Ceilândia, Gama e Planaltina. Há três sistemas de acesso: Universal, com 922 vagas, de Cotas para Negros, com 112 oportunidades, e de Cotas para Escolas Públicas, com outras 1.071 vagas. Nas Cotas para Escolas Públicas, há, ainda, a reserva de oportunidades para candidatos com deficiência. A taxa para realizar o processo seletivo é de R$ 150, inclusive para treineiros. Mais informações no edital www.cespe.unb.br/vestibular

Anúncios

Alimentação saudável dentro da escola

Muitas vezes quando se prioriza a rapidez na hora de se alimentar, os nutrientes são deixados de lado. Dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 2017, revelam que, no Brasil, cerca de 12,7% dos meninos e 9,4% das meninas sofrem obesidade e o que contribui para o aumento dessa porcentagem é o consumo de produtos industrializados e a falta de uma alimentação balanceada.

Para estimular a alimentação saudável e o processo de produção de alimentos, o Centro Educacional Sigma realiza o Projeto Horta. O programa consiste na visita dos alunos do 6º ano do Ensino Fundamental para acompanhar o crescimento das hortaliças e todas as etapas do plantio. Durante todo o processo, as crianças anotam em seus “Diários de Bordo” todos os dados sobre os vegetais que foram plantados, desde os valores nutricionais até o tamanho da muda. Após a colheita, os alunos levam para casa as hortaliças que eles próprios cultivaram.  Com isso os mais jovens, que geralmente dão preferência para alimentos açucarados são incentivados a se alimentar com verduras e legumes. “O estímulo precoce à alimentação orgânica faz toda a diferença. Quanto mais a criança participa da produção do alimento e conhece os ingredientes, maior é a tendência de ter prazer em comer bem”, explica Liany Oliveira, coordenadora do Projeto Horta.

IESB completa 20 anos de fundação

O Centro Universitário IESB completou 20 anos de fundação. Uma história de sucesso que começou em 1993, quando ainda  era denominado Centro de Educação Superior de Brasília – CESB, com o objetivo de desenvolver atividades de ensino, pesquisa e extensão em nível superior.
Desde então, o IESB só cresceu. Em 1999, foi inaugurado o Campus Giovanina Rímoli (609 norte); em 2003, o Campus Edson Machado (613/614 sul) e, em 2010 , o Campus Liliane Barbosa (Ceilândia). De 2001 até hoje, o IESB já fez parte da vida de 45 mil pessoas.

Entre as comemorações, a reitora do Centro Universitário IESB, Eda Coutinho, recebeu a medalha de Mérito Eleitoral do DF. A honraria foi concedida pelo Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal em uma cerimônia realizada no auditório do Memorial JK. Uma distinção que reconhece a importância do trabalho da professora Eda Coutinho na formação de várias gerações de juristas brasileiros. Além de familiares e amigos, como Edson Filho, Any Avila, Liliane Rimole e Pedro Emílio Barbosa; também cumprimentaram a educadora, o professor Márcio Evangelista, mestre em direito penal do IESB, e o desembargador Everardo Ribeiro Gueiros Filho.

Mestrado em cinema nos Estados Unidos

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) divulgou nesta terça-feira, 10/4, o Edital n° 10/2018, que abre seleção de bolsistas para cursar mestrado nos Estados Unidos na área de roteiro cinematográfico. O programa Master of Fine Arts (MFA) concede até quatro bolsas de estudo com duração de até 21 meses, com previsão de início em agosto ou setembro de 2019. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas exclusivamente pela internet até dia 03 de junho. Para se candidatar, aqueles que cumprirem os requisitos descritos no Edital devem preencher formulário de inscrição da Comissão Fulbright, em inglês, de acordo com as instruções específicas, ambos disponíveis na página da Fulbright.

De acordo com o edital, os bolsistas receberão da CAPES a anuidade e as taxas acadêmicas da universidade norte-americana. A Comissão Fulbright custeará uma bolsa de estudos mensal, variável conforme o campus, seguro-saúde, passagem área internacional de ida e volta e auxílio-instalação. O aprovado será responsável por obter o visto.

Abril é o mês da leitura

Você sabia que abril é um mês que homenageia a leitura? São várias comemorações: Dia Internacional do Livro (2/4), Dia da Biblioteca no Brasil (9/4),  Dia Nacional do Livro Infantil (18/4) e Dia Mundial do Livro (23/4), data escolhida pela Unesco). Mas não pense que essas datas foram escolhidas aleatoriamente. Em 2/4, celebra-se o aniversário do contista e poeta dinamarquês Hans Christian Andersen (1805-1875), conhecido por histórias infantis como Soldadinho de Chumbo, O Patinho Feio e A Pequena Sereia. Em 18/4/1882 nascia Monteiro Lobato, autor do Sitio do Pica-pau Amarelo. Já 23 de abril é também a data da morte de grandes escritores da história como William Shakespeare e Miguel de Cervantes.

A leitura é uma das maiores aliadas para o aprendizado de uma criança, pois possibilita a consolidação da fluên­cia na língua e ajuda na interpretação de texto, além de ser extremamente importante para que um jovem/adulto possa ter participação ativa na comunidade, na economia e na vida pessoal. Números da Avaliação Nacional de Alfabetização (ANA), divulgados pelo Ministério da Educação (MEC) em outubro de 2017, mostram que houve pouco avanço em leitura, escrita e Matemática entre 2014 e 2016. Para se ter uma ideia, dos mais de 2 milhões de alunos entre 7 e 10 anos que fizeram o exame em 2016, apenas 45,27% obtiveram um nível de proficiência considerado satisfatório. Em 2014, eram 43,83%.

Segundo a última pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, divulgada em 2016, o brasileiro lê apenas 4,96 livros por ano – desses, 0,94 são indicados pela escola e 2,88 lidos por vontade própria. Do total de exemplares lidos, 2,43 foram terminados e 2,53 lidos em partes. Adolescentes entre 11 e 13 anos são os que mais leem por gosto (42%), seguidos por crianças de 5 a 10 anos (40%). O estudo também revela que para 67% da população não contou com alguém que o incentivasse o hábito de ler, enquanto 33% tiveram influência da mãe ou de algum representante do sexo feminino (11%), seguida pelo professor (7%). Para Rosa Cavalcante, coordenadora pedagógica da Educação Infantil do Le Petit Galois, ler é uma prioridade. “É imprescindível despertar na criança esse gosto pela literatura. Temos um repertório incrível de autores e isso nos permite trabalhar de várias formas o encantamento das histórias e as possibilidades que proporcionam. Quando estimulamos logo no início, o gostar de ler passa a fazer parte da vida até a fase adulta”, afirmou a coordenadora.

Como a escola é fundamental no processo de fomentar o amor pela literatura, o Galois tem projetos para todos as idades: do infantil ao ensino médio. No Ensino Infantil, por exemplo, além da ciranda literária – projeto em que se disponibilizam livros para serem lidos em sala de aula ou em casa -,  os pequeninos têm um espaço especial para estimular o gosto pela leitura, onde, duas vezes por semana, as crianças escutam uma historinha e, depois, recebem fantasias para que interpretem, a sua maneira, a história lida pelo professor. Além disso, às sextas-feiras, elas são acolhidas com uma “contação” teatralizada. Já os alunos do fundamental participam do Projeto Literário, que promove debates e dias de autógrafo com autores e ainda, uma vez por semana, vão a biblioteca para escolher um título para ler em casa.

Para os meninos do Ensino Médio, além do Galoisrtes (uma gincana de provas, de ampla variedade de competências e habilidades, entre elas algumas que trabalham obras literárias obrigatórias para o PAS), existe também o Clube da Leitura, um espaço aberto e voluntário para a discussão e aprendizagem de textos diversos. Os títulos são selecionados pela professora de Literatura, Camilla Osiro, que lista publicações por sua importância e complexidade. “Ler é o primeiro passo para se aprender e entender o mundo a sua volta. Os livros trazem e compartilham vivências do mundo e da vida. É uma oportunidade para que todos possam expressar suas opiniões e discutir a obra em vários sentidos, não apenas naquele que é mais cobrado em uma prova”, avalia Camilla.

A internet sem riscos é possível?

O Brasil é um dos quatro maiores polos de divulgação de pornografia infantil do mundo, atrás dos Estados Unidos, da Coreia do Sul e da Rússia, segundo a ONG Rainbow Phone. Esse quadro expõe mais da metade das crianças entre oito e 12 anos a ameaças digitais, como cyberbullying e vício em videogames. Para o Instituto DQ, que concluiu o estudo de impacto DQ2018, em parceria com o Fórum Econômico Mundial, vivemos a “pandemia de risco cibernético”. Segundo o relatório, 260 milhões de crianças em todo o mundo estão envolvidas com cyberriscos, e a perspectiva é que esse número se eleve para até 400 milhões em 2020. Segundo o relatório apresentado durante o Fórum Econômico Mundial, crianças gastam, em média, 32 horas sozinhas na frente de telas digitais em busca de entretenimento, tempo superior ao que passam na escola.

A pesquisa apresenta uma questão fundamental: a internet sem riscos, principalmente para crianças em idade escolar, é possível? “Por mais que a criança domine os botões e teclas, ela não vai dominar as outras dimensões se não tiver uma educação para o uso crítico da web”, alerta Rodrigo Nejm., diretor de educação do SaferNet. Além da pornografia, aliciamento infantil, homofobia, racismo e neonazismo são algumas das ameaças que atingem diretamente crianças e adolescentes que navegam na internet sem nenhuma mediação.

Neide Cardoso de Oliveira, procuradora regional da República, reforça a preocupação levantada por Rodrigo. “Os efeitos da exposição ao cyberbullying em crianças e jovens não só apenas físicos, mas principalmente psicológicos, e ficam como marcas para aquele ser humano para o resto da vida”, ressalta.

Mais informações MEC. 

Dúvidas na declaração do Imposto de Renda?

Contribuintes com dúvidas na declaração de Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF) podem buscar ajuda no projeto Balcão Fiscal, do Departamento de Ciências Contábeis e Atuariais da Universidade de Brasília (UnB). Durante março e abril, os atendimentos acontecem pelo e-mail balcaofiscal@gmail.com; ou presencialmente, às terças-feiras, das 16h30 às 18h30. O serviço é gratuito e funciona no laboratório de informática da Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Gestão de Políticas Públicas (Face), sala D1 10/33.

Mais informações:  www.facebook.com/balcaofiscal

Projeto ajuda crianças da rede pública com defasagem no processo de alfabetização

Os problemas da alfabetização costumam aparecer no início da vida escolar, mas muitas vezes prosseguem por anos a fio para serem detectados apenas em séries mais avançadas, quando muito tempo já foi perdido na escola. Entre as consequências, temos cada vez mais jovens com déficit de leitura, escrita e apropriação do conhecimento. Para melhorar esta realidade, o curso de Pedagogia do Centro Universitário IESB – campus Oeste – promove o projeto Letramento Interventivo. A iniciativa tem por objetivo oferecer atendimento especializado a estudantes do ensino da rede pública da comunidade, que apresentam alguma defasagem no processo de alfabetização e, assim, contribuir para o ensino e desenvolvimento desses alunos. As aulas são ministradas por graduandos do curso da Pedagogia da instituição – sob a supervisão dos professores –  e acontecem sempre nas terças das 13h30 às 17h, e quartas-feiras, das 8h às 11h, no IESB Ceilândia.

Cerca de 80 crianças já foram beneficiadas pelo projeto, que teve início em 2016. “Para participar é necessário que a criança passe por uma triagem conosco para que possamos avaliar o nível de dificuldade. Atendemos crianças laudadas com déficit de atenção e hiperatividade, bem como, alunos com necessidades educativas especiais. São casos que precisam de atendimento individualizado. Para cada estudante assistido, temos um monitor da Pedagogia e o resultado é muito significativo. Dependendo do grau de fragilidade, em dois meses já percebemos a melhora”, explica a pedagoga Adjanira Borges, professora responsável pelo projeto.

Graduada em dezembro de 2017, Saionara Lima Martins participou desde o princípio do projeto Letramento Interventivo e, mesmo depois de formada, continua a participar como voluntária. “Comecei no 6º semestre e acho que tive um aprendizado enriquecedor para a minha carreira. Tive chance de viver na prática o cotidiano da sala de aula, sempre com o apoio dos professores”, ressalta.

O atendimento é gratuito. Escolas públicas e pais interessados devem procurar a secretaria do curso de Pedagogia do IESB em Ceilândia pelo telefone (61) 3962-4725.

%d blogueiros gostam disto: