Currículo global é um dos destaques da Internacionalização

Alunos do IESB participam de cursos na Pennsylvania State University

A necessidade de intercomunicação entre pessoas e empresas de diferentes países é um dos efeitos da globalização. Se antes o currículo de um estudante era pensado para atender as necessidades locais ou a região que ele morava, hoje o mercado de trabalho vem exigindo, cada vez mais, profissionais com habilidades interculturais e fluência em línguas estrangeiras. Para atender a esse novo perfil, as Instituições de Ensino Superior (IES) apostam em um novo caminho: o da internacionalização. “Quanto mais o estudante aprender a lidar com a fronteira do conhecimento e viver de perto a cultura, a política e a economia de outros povos, mais ele estará apto a ser este profissional que o mundo atual tanto busca e precisa”, afirma a reitora do Centro Universitário IESB, Eda Coutinho.

Em Brasília, o IESB representa um papel importante para o fomento e construção desta prática. Desde 2004, quando foi feito um acordo com o Istituto Europeo di Design (IED), na Itália, e depois, em 2007, com o primeiro intercâmbio para o Instituto Argentino de Gastronomía (IAG), na Argentina, a instituição já enviou mais de 100 alunos para programas no exterior e mantém parcerias com universidades na Europa, Ásia e América Latina. Em janeiro de 2017, sete estudantes viajaram para os Estados Unidos, onde passam duas semanas na The Pennsylvania State University por meio do programa de internacionalização do IESB. Eles freqüentam aulas de Gastronomia, Direito, Design, Publicidade e Propaganda e Relações Internacionais, compatíveis com sua graduação e importantes para sua formação profissional.

Os estudantes Lerry Dias, Marília Maia e Stephanie Maia conversaram com o blog Edson Machado. Veja o vídeo:

A internacionalização já é uma das prioridades das instituições de ensino em todo o mundo. Na Europa, por exemplo, de acordo com o relatório de 2015 da European University Association’s Trends, das 451 universidades que contribuíram para a pesquisa, 39% disseram que o recrutamento internacional está levando a um aumento da população estudantil. Além disso, 92% dessas instituições acreditam que a internacionalização contribui para a melhora no aprendizado e ensino. Aqui no Brasil, a internacionalização esteve focada, principalmente, nos cursos de pós-graduação – o país possui atualmente mais de 4.300 programas de pós-graduação, com 250 mil alunos, mais de 100 mil somente em doutorado. Entretanto, nos últimos anos, muitos alunos de graduação têm buscado sua vaga em diversas universidades do mundo inteiro, como uma forma de desenvolver o conhecimento linguístico, a competência comunicativa intercultural e incrementar seu currículo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: