Livro apresenta análises de representações na cultura midiática

Elenco da série norte-americana The Newsroom – Foto: Divulgação

O Grupo de Estudos de Linguagem: Práticas Midiáticas (MidiAto) da Universidade de São Paulo  (USP) lança o livro Mediações críticas: representações na cultura midiática, reunindo 16 artigos sobre as representações em narrativas jornalísticas, séries televisivas e nas redes sociais. As mediações feitas pela mídia refletem sobre como os indivíduos são vistos pela sociedade. Alguns grupos minoritários têm lutado por uma representação igualitária, sem estigmas e preconceitos. No artigo “Diálogo e engajamento no caso #belarecatadaedolar”, discute-se a repercussão, nas redes sociais, da matéria Marcela Temer: Bela, recatada e “do lar’” publicada pela revista Veja, em 2016.

A série norte-americana The Newsroom é abordada em “Fabulação, reconstrução e mediação (meta)crítica no seriado Newsroom”. O seriado apresenta os bastidores de um fictício canal de notícias. Já “Mr. Robot, a ilusão cibernética da figura de o Outro” baseia-se nas obras de Judith Butler e Hannah Arendt para analisar a série Mr. Robot. 

Na seção Cidades mediadas, Julia Lery busca compreender como as representações sociais são feitas para além do texto jornalístico no artigo “Entre o bandido e o ‘cidadão de bem’: alteridade e ética em Brasil urgente”. O MidiaAto é sediado na Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP e promove o debate e lançamento do livro no dia 14 de dezembro, às 14h30, na sala 224 doDepartamento de Cinema, Rádio e Televisão (CTR) da ECA.

A obra é fruto da Rede de Pesquisa em Cultura Midiática – Metacrítica, que reúne USP, Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Minas Gerais e a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). A organização é de Marcio Serelle e Rosana Soares.

Para baixar o e-book, acesse este link.

Anúncios

Escola do DF desenvolve projeto de valorização do espaço escolar

Durante a Copa do Mundo no Brasil, muitos ficaram impressionados quando a torcida japonesa começou a limpar as arquibancadas dos estádios durante os jogos. A ação foi um reflexo da educação do povo japonês, que aprende, desde a infância, a cuidar de um patrimônio público. No Japão, o aluno não estuda apenas as matérias, mas aprende a se tornar um cidadão consciente. Atividades como varrer, passar pano no chão e servir a merenda fazem parte da rotina de todos na escola. No Brasil, a valorização do espaço escolar pelos alunos ainda não é uma prática comum, mas devemos incentivá-la o quanto antes. “O espaço físico escolar é um elemento indispensável a ser observado na educação”, afirma a professora de Pedagogia do Centro Universitário IESB, Onília Almeida. De acordo com a pedagoga, o ambiente deve ter como princípio oferecer um lugar acolhedor e prazeroso para o aluno, devendo ser explorado em uma relação de interação total de aprendizagem, de troca de saberes entre os pares, de liberdade de ir e vir, de prazer, de individualidades, de partilhas, enfim, de se divertir aprendendo. No entanto, é preciso que a escola compartilhe essa importância com todos. “Para muitas escolas, a cultura reinante é o problema da depredação de seu patrimônio. Nesse cenário, é importante que a comunidade escolar busque uma solução que incentive a participação efetiva por meio da aprendizagem de valores, como respeito, responsabilidade, cidadania, zelo, e colaboração. Cuidar da escola não é só papel do gestor, mas de todos que compartilham esse espaço, pois o patrimônio da escola é um bem que pertence a sociedade”, afirma Almeida.

É o que faz a escola CED 310 de Santa Maria, uma das instituições do Distrito Federal, que participa do 1º Prêmio Escola de Atitude. Em formato de gincana, a proposta visa promover a consciência cidadã dentro das unidades públicas de ensino por meio da percepção social de alunos e professores. “É importante que os estudantes se sintam donos também do espaço. O prêmio Escola de Atitude nos deu a possibilidade de intensificar as ações envolvendo sentimento de pertencimento e, consequentemente, a conservação do ambiente escolar com ações que são visíveis a todos”, explica o professor Luís Cláudio Lopes de Araújo, vice-diretor da escola. Desde que o trabalho foi intensificado, ele já percebeu uma mudança significativa entre os alunos, que participam do projeto e colocam a “mão na massa”, pintam paredes, bancos, varrem a escola, cuidam do jardim, entre outras atividades. “Tudo isso é uma caminhada e estamos no início. Dentro da escola nós já conseguimos perceber uma mudança de vários estudantes. Teve até o caso de um aluno que disse ao colega para não colocar o pé no banco porque ele havia pintado aquele objeto”, lembra o professor

O próximo passo, segundo o educador, é multiplicar esta consciência. “Apesar do excelente trabalho, ainda não conseguimos atingir a todos. Ainda há estudantes que depredam o patrimônio e não percebem o espaço como sendo deles. Por outro lado, estamos certos que estamos no caminho de uma evolução positiva. Agora, precisamos agregar esses estudantes ao grupo dos que já veem a escola como parte do seu ambiente de convívio e que precisa ser cuidada”, conclui Araújo.

 

 

Head of Technology do Google faz palestra no IESB

Cada vez mais a Inteligência Artificial (IA) está presente no nosso cotidiano. Desde smartphones que reconhecem objetos, gestos, faces e vozes, carros autônomos até robôs capazes de fazer diagnósticos médicos ou simplesmente localizar objetos, a IA domina mecanismos tecnológicos avançados, criando o mundo de amanhã.

Sempre alinhado com as inovações e avanços tecnológicos, o Centro Universitário IESB convidou o Head of Technology and Customer Engineering do Google, Fernando Teixeira, para palestrar na primeira edição do IESB TALK2017, no Campus Norte, Av. L2, quadra 609, dia 12 de dezembro, às 19h. O executivo debaterá sobre estrutura, segurança, importância e vantagens dos Bancos de Dados e como eles podem ser o diferencial para o sucesso de grandes empresas, além de abordar um assunto que gera muitas dúvidas no mercado: para onde vão todas as informações de usuários coletadas diariamente.

No evento também será apresentado o novo curso de graduação em Ciências de Dados e Inteligência Artificial, que nasce com o apoio da Google, Intel e  Software & Soluções de Analytics (SAS). “O bacharelado em Ciência de Dados e Inteligência Artificial é um curso totalmente novo no Brasil, mas já é uma área com muita demanda pelo mercado de trabalho, por isso buscamos as melhores empresas no segmento para garantir um programa inovador, dinâmico, prático e que, com certeza, transformará a vida de muitos jovens”, afirma o professor Sérgio da Costa Côrtes, coordenador do curso.

A entrada é gratuita e aberta ao público.

Serviço:

IESB TALK2017
Local:  IESB Campus Norte. Av. L2, quadra 609.
Data: 12 de dezembro, às 19h

Brasileiros aproveitam férias escolares para estudar no exterior

Saiba quais são as cidades no mundo mais procuradas para 2018

Cada vez mais os brasileiros querem viver uma experiência em outro país e conciliar a visita com o aprendizado do idioma. Conforme levantamento da IE Intercâmbio, o maior número de pessoas que passam as férias fora do Brasil, nunca tinham pisado no exterior e preferem por cursos de inglês com duração entre 1 a 2 meses e meio. “As férias são sempre ótimos motivadores para adquirir conhecimento em um lugar diferente. A pessoa se sente muito mais confortável em investir onde o retorno não será apenas o passeio, mas a vivência internacional e a prática do idioma”, avaliou o especialista Marcelo Melo, diretor da IE. Segundo a análise, a moeda, o câmbio, custo de vida e as oportunidades que o país proporciona aos visitantes são os motivadores para a escolha do destino. Toronto e Vancouver (Canadá), Nova York e San Francisco (EUA) e Londres (Inglaterra) são os lugares prediletos para cursar inglês em suas férias de 2018.

Destinos acessíveis

O Canadá é o mais procurado pelos brasileiros por oferecer um custo benefício acessível para quem quer fazer um intercâmbio de um a três meses. Com a variação do câmbio e a sua redução, os Estados Unidos e a Inglaterra, voltaram a ser consideradas opções por uma boa parte dos brasileiros para cursos de até 2 meses. “Londres tem atraído pessoas que estudam direito, administração e demais áreas específicas. Outro diferencial do lugar, é que os intercambistas podem conciliar o estudo com o turismo, chegando na maioria dos países da Europa em uma ou duas horas”, explicou Marcelo.

Toronto e Vancouver (Canadá)

Toronto ainda é o primeiro lugar porque o custo benefício se torna acessível. É cosmopolita e cheia de oportunidades para estrangeiros. Vancouver, acaba sendo procurada por aqueles que desejam ficar um curto período. Tem clima agradável e mistura o ambiente da natureza com a modernidade local.

Nova Iorque e San Francisco (Estados Unidos)

Nova Iorque sempre foi a preferida dos brasileiros porque é uma referência não só em turismo, mas de carreira. Tudo quanto é profissão gira em torno dessa megalópole. Para os que buscam se estabelecer no ramo do empreendedorismo, San Francisco é o destino certo. A cidade é o polo das principais startups do mundo.

Londres (Inglaterra)

Londres é o berço do idioma e o melhor lugar para aprender inglês. A cidade é excelente em educação e agrega os interesses adicionais das pessoas de acordo com a área profissional. Além de ser bem localizada na Europa, possibilitando um turismo ainda maior ao intercambista.

O diferencial da modalidade

Cursos de inglês aliado à uma área específica. Direito, administração, setor de negócios e muitos outros. As pessoas que buscam essa modalidade possuem desde o inglês básico, intermediário ou, já são fluentes, mas nunca tiveram a oportunidade financeira e temporal de estudar fora.

Professores e doutorandos da UnB lançam livro sobre Hermenêutica e Análise dos Discursos em Jornalismo

Um olhar aprofundado sobre o Jornalismo. É o que define o livro Hermenêutica e Análise dos Discursos em Jornalismo, que está sendo lançado por professores e doutorandos do programa de Pós-Graduação em Jornalismo e Sociedade da Faculdade de Comunicação da UnB. O objetivo foi popularizar a hermenêutica como método de interpretação e de busca de compreensão das notícias. O lançamento do livro será no dia 13 de dezembro (quarta-feira), no Carpe Diem (104 Sul), a partir das 19 horas.

 

Conheça a marca que representará Brasília

Alunos do IESB vencem concurso nacional que escolheu a marca que representará a cidade e ajudará a potencializar o turismo da capital

A capital federal acaba de ganhar uma marca que carrega toda sua identidade. Promovido pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal (Fecomércio), com apoio de instituições de nível superior, agências de publicidade, fundações e entidades ligadas ao setor produtivo, o concurso Marca Brasília selecionou o design “Skyline” – criado pelos alunos do Centro Universitário IESB Igor Guimarães Borges e Matheus Gomes de Vasconcelos – como vencedora da disputa e do prêmio de R$ 20 mil. A partir de agora, essa será a representação da capital federal para o mundo.

Foram mais de 900 inscrições e cerca de 500 pré-selecionadas. A nova marca, com  traços simples que remetem as principais obras de Oscar Niemeyer, foi escolhida em votação popular com a preferência de 46% do público votante, entre os 1.809 participantes. A escolha vencedora levou em consideração aspectos que melhor destacavam a cultura da capital, bem com a singularidade arquitetônica.

Aluno do último semestre do curso de Design Gráfico, Igor Borges afirmou que sua preocupação ao criar a marca foi de que as pessoas não se limitassem a ler, mas sentissem a palavra “Brasília”. “Por isso as letras são alongadas, para dar a sensação do planalto, do horizonte aberto. As curvas representam os monumentos – Congresso Nacional, Catedral, Teatro Nacional, Museu Nacional – cartões postais da nossa cidade. A melhor sensação é saber que agora terei uma criação que estará na história da capital federal”, disse Igor.

Para Matheus Vasconcelos, graduado em Design Gráfico e aluno do curso de Arquitetura e Urbanismo do IESB, a marca de toda cidade é sua arquitetura. Segundo o designer, o objetivo era passar a monumentalidade de uma cidade moderna como Brasília. “A marca criada por nós é incomum. A própria tipografia da logo diz sutilmente o que a capital federal representa, ressaltando as suas belezas arquitetônicas. As cores que escolhemos foram azul, branco e o laranja, que também estão diretamente ligadas à cidade. O branco que predomina na maioria dos monumentos. O azul do céu, dos vitrais e espelhos d’água. O laranja nos lembra o pôr do sol do Cerrado. A marca agora é de domínio público, mas sugerimos quem sejam usadas essas três cores, pois combinam entre si”, ressaltou Vasconcelos.

A conquista do prêmio por dois dos alunos da instituição, encheu de orgulho a professora Cristiane Arakaki, coordenadora do curso de Arquitetura e Urbanismo. “É muito bom saber que estamos contribuindo para a formação de profissionais qualificados. A vitória nesse concurso comprova que o IESB já é uma referência em Design Gráfico no Brasil e agora terá a criação de seus alunos reconhecida internacionalmente”, comemorou.

Segundo Cláudia Maldonado, integrante da Câmara Temática de Turismo e Hospitalidade da Fecomércio e presidente da Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do DF (ADVB/DF),  a escolha popular por uma marca não óbvia, mas que, ao mesmo tempo, consegue expressar as características de Brasília, reconhecida como Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco, mostra que a arquitetura da cidade é um marco. “Trabalhamos bastante para chegar à escolha final. Ficamos contentes com o resultado, pois representa bem Brasília. O mais importante é que ela faz as pessoas pensarem sobre a cidade e incentiva o sentimento de pertencimento”, afirmou Maldonado.

Confira os gabaritos extraoficiais das três etapas do PAS de 2017

A maratona de provas do Programa de Avaliação Seriada da Universidade de Brasília (PAS/UnB) acabou e chegou a hora de os estudantes checarem o desempenho. Segundo avaliação do professor do colégio Galois Euclides Chacon, em relação aos anos anteriores, o nível de dificuldade aumentou. “A prova exigiu mais dos alunos, mas tudo dentro do conteúdo programático e com um nível de interdisciplinaridade excelente, juntando questões de química com biologia, física e matemática. Isso é importante, porque o candidato tem que saber lidar com esse tipo de exercício”, analisou. Enquanto os candidatos esperam as respostas oficiais preliminares, que serão publicadas pelo Cebraspe na quarta-feira (6/12), o blog Edson Machado divulga os gabaritos extraoficiais das três etapas do PAS de 2017 feitas pelos professores do colégio Galois. Clique aqui para acessar a página.

Prova do PAS acontece neste domingo

A prova do Programa de Avaliação Seriada (PAS), que garante uma vaga na Universidade de Brasília (UnB), está marcada para o próximo domingo (3/11), às 13h, para os participantes das três etapas. Além de escrever uma redação, os candidatos irão responder questões objetivas que envolvem as seguintes disciplinas do ensino médio: Artes Cênicas, Artes Visuais, Biologia, Filosofia, Física, Geografia, História, Língua Portuguesa, Literaturas de Língua Portuguesa, Matemática, Música, Química, Sociologia e Língua Estrangeira (Espanhol, Francês ou Inglês).

A UnB pede que os estudantes estejam nos locais com antecedência. O participante precisa levar documento de identificação com foto e caneta esferográfica de tinta preta (fabricada em material transparente). Não esquecer a documentação, conferir o local de prova e levar um lanche para repor as energias são as dicas do professor de Química, Euclides Chacon, do Colégio Galois. “É muito importante que o aluno saia de casa com antecedência, lembrando que estamos em período de chuva e isso poderá causar transtorno no trânsito. Quanto mais cedo o estudante se organizar, melhor”, orienta Chacon. “Sobre o conteúdo de química, os alunos do primeiro ano devem tomar muito cuidado com os métodos de separação de misturas. Já interações moleculares vêm caindo muito no conteúdo do segundo ano, assim como eletroquímica é constante nas provas da terceira etapa do PAS”, resume o professor.

São 4.222 vagas para quem for aprovado na 3ª etapa do PAS 2017. Destas, 2.112 são para o primeiro semestre e as demais para o segundo. As oportunidades são para os campi Darcy Ribeiro, Ceilândia, Planaltina e Gama, todos no Distrito Federal. Há reserva de vagas para estudantes de escolas públicas (independentemente da etnia e autodeclarados pretos, pardos e indígenas), sistema de cotas para negros e reserva para pessoas com deficiência.

Resultado

Para a terceira etapa, as notas da redação serão divulgadas em 21 de dezembro e a primeira chamada é esperada para o dia 22 de janeiro de 2018. O desempenho individual do candidato poderá ser consultado em 12 de março. As demais etapas do PAS poderão acessar suas notas preliminares em 21 de fevereiro e a versão final sairá em 15 de março. Já o boletim definitivo estará disponível em 4 de maio de 2018.

%d blogueiros gostam disto: